Brasil coloca oito boxeadores na semifinal para quebrar jejum - WSCOM

menu

Mais Esporte

24/07/2007


Brasil coloca oito boxeadores na



Brasileiro Davi Souza (vermelho) vence

Três baianos e cinco paraenses estão na semifinal e vão lutar pelo ouro que não vem para o país desde o Pan-Americano de São Paulo, em 1963. Por baixo, a campanha já quadriplica o resultado de quatro anos atrás, quando em Santo Domingo os ringues renderam apenas dois bronzes. Mas isso é pouco, para eles.

“Não se pode contentar com o bronze”, crava o pesado Rafael Lima, após bater o canadense Sébastien Lalumière por 18 pontos a 5. “Tenho ouro nos dentes, mas falta o ouro no peito”, sorri o lutador com dentes dourados. Ele prevê outras medalhas douradas para a modalidade. “Essa união do Pará e da Bahia está dando frutos”, definiu.

Para fechar a noite um baiano: Antônio Rogério Nogueira, o Minotouro, também venceu seu combate e selou passagem para as semifinais ao superar por 18 a 6 o venezuelano Jonny Molina. “Foi uma luta dura, com golpes francos, mas eu consegui manter a distância e virei”, analisou.

Pela frente no caminho do ouro estará o cubano Robert Alfonso, que derrotou o dominicano Cristian Cabrera. “Ele vem ganhando tudo, mas com essa torcida do lado e toda equipe unida, vamos vencer”, disse o baiano radicado no Rio. O grupo baiano se completa com o meio-médio Pedro Lima e leve Everton Lopes, que se classificaram em combates no domingo.

Já a gangue paraense é mais numerosa. Além de Rafael Lima, são mais quatro na semifinal: Myke Carvalho, Davi Souza, Gláucelio Abreu e James Dean Pereira. Apesar dos celeiros do boxe serem em Salvador e Belém, o grupo treina em Santo André (SP).

Em uma luta apertada nesta noite de segunda, Glaucélio Abreu bateu por 13 pontos a 12 Joseph Clarence, das Ilhas Virgens Norte-Americanas. “Foi uma luta dura, mas mostra que a próxima vai ser mais difícil ainda. Faz a gente entrar mais concentrado”, disse o pugilista paraense.

Na semifinal, Glaucélio vai enfrentar o porto-riquenho Argenis Nuñez, que derrotou o haitiano Wilky Campfort. “Já fiz uma luta na academia com esse porto-riquenho. Ele é muito técnico”, analisou o boxeador.

Antes de Glaucélio, as vitórias nacionais desta segunda-feira foram de outros dois paraenses: Davi Souza e Myke Carvalho. O peso pena Davi Souza venceu de virada o mexicano Francisco Vargas. Na próxima luta, ele enfrenta o porto-riquenho Abner Roman, que derrotou o norte-americano Luis Del Valle.

“Quem sabe não é o meu ouro chegando”, declarou Souza após a vitória. “Vamos acabar com esse jejum. Garanti o bronze, mas estou na busca do ouro”, disparou meio-médio-ligeiro Myke Carvalho, que bateu o venezuelano Jonny Sánchez por 19 a 4, dominando o combate durante todo o tempo. Na semifinal, ele vai pegar o norte-americano Karl Dargan, que venceu por W.O. seu último combate.

Notícias relacionadas