Brasil atinge marca de 1 milhão de Empreendedores Individuais - WSCOM

menu

Economia & Negócios

06/04/2011


Brasil tem 1 milhão de Empreendedores

Crescimento

Foto: autor desconhecido.

Com marca prevista para ser atingida ainda no início de 2011, o Sebrae e o Governo Federal anunciaram nesta quarta-feira, dia 6, que já são 1 milhão de Empreendedores Individuais (EI) formalizados através da lei no Brasil. Criada para incentivar a formalização de profissionais que trabalham por conta própria, a marca será comemorada em um grande evento com a presença da presidenta Dilma Rousseff, nesta quinta-feira, 07, no Palácio do Planalto, em Brasília. Um empreendedor individual da Paraíba foi convidado pelo Governo e participará do evento.

O representante do Estado no evento, além dos dirigentes do Sebrae Paraíba, será o empreendedor individual Pedro Meireles, escolhido entre 14 mil paraibanos por ter uma história de sucesso na administração do seu novo negócio. Formalizado há um ano, Pedro é formado em letras e foi demitido de seu emprego por dar aulas particulares para complementar a renda. Ele que ajuda a família, com a demissão decidiu trabalhar por conta própria, formalizou-se com a chegada do EI e hoje colhe os frutos.

“Fiquei surpreso com o convite. Imagina falar com a presidenta? Expliquei a meus alunos que terei que me ausentar das aulas esse resto de semana, mas é por uma causa nobre”, sorriu.

A MP Cursos possui sede na principal rua comercial da capital paraibana, a Epitácio Pessoa, e conta com seis turmas, além dos alunos individuais que cursam cadeiras de português, inglês e futuramente italiano. O negócio rende ao profissional cerca de RS 2 mil de faturamento e já emprega uma auxiliar de serviços gerais com carteira assinada.

EI na Paraíba

O sistema de cadastro do Empreendedor Individual, que funciona pela web no Portal do Empreendedor, iniciou o funcionamento na Paraíba exatamente no dia 8 de fevereiro de 2010. Na época, trabalhavam de forma ilegal mais de 200 mil pessoas no Estado, segundo dados do Sebrae da última pesquisa realizada em 2003 que determina os índices da economia informal urbana. Agora, um pouco mais de um ano depois e muito trabalho das instituições que encabeçaram o lema, são 14,294 mil profissionais legalizados que garantiram benefícios como o previdenciário e de apoio as suas atividades através de instituições de fomento ao empreendedorismo.

A média de abertura de empresas pelo Empreendedor Individual, se considerado o número e dividindo entre os 395 dias correspondentes aos 13 meses de funcionamento na Paraíba, entre fins de semana e feriados, foram em média 36,1 novas empresas abertas diariamente através do EI somente aqui no Estado. Vale ressaltar também que na Paraíba 81,8 mil das empresas são micro e pequenas empresas (MPE), ou seja, do total, os EI já representam 17,3% se comparados a esse volume.

Mesmo com toda a revolução retratada pelos números, para o superintendente do Sebrae Paraíba, e também economista, Júlio Rafael, o EI cria uma força de auto-estima muito intensa neste universo de pessoas que trabalham por conta própria. Para ele é um movimento importante que se junta a outra agitação de inclusão promovido pelas políticas governamentais dos últimos anos de incremento de renda das classes C e D, em todo o país.

“Forma-se uma componente de forças de enorme efeito resultante na sociedade brasileira. O que impressiona é que a sociedade civil e mesmo algumas instâncias institucionais governamentais e não governamentais ainda estejam se mobilizando pouco para divulgar e fortalecer esses programas”, reforçou Rafael.

Dos 14,2 mil Empreendedores Individuais paraibanos 33,6% possuem idade entre 31 e 40 anos, sendo 56% homens e 44% mulheres, o que mostra equilíbrio entre os gêneros. Exercem suas atividades dentro dos seus domicílios 66,3% dos empresários. As atividades econômicas que mais possuem cadastros no Estado são comércio varejista de artigos do vestuário e acessórios; cabeleireiros; minimercados, mercearias e armazéns; e lanchonetes, casas de chá, de sucos e similares.

No Brasil

Do total de Empreendedores Individuais no Brasil, o estado de São Paulo possui o maior volume, com 208,4 mil, seguido pelo Rio de Janeiro (130,8 mil) e Minas Gerais (96,9 mil). A média de formalização, no mês de março em todo o país, foi de 2.119 mil empresas abertas através do EI todos os dias. Já migraram da pessoa jurídica EI para a categoria de Micro e Pequena Empresa 6.289 empresas, que cresceram e tiveram seus faturamentos superiores, RS 3 mil ao mês, previsto pelo Empreendedor Individual.

Segundo o levantamento da primeira quinzena do mês de março feito no universo de EI que fizeram a Declaração Anual de Rendimentos, foram gerados por essa categoria quase 20 mil empregos formais. No entanto, a grande maioria dos declarantes (506.664) relatou que continua trabalhar sem um colaborador ou ajudante.

Quanto ao sexo 55% dos Empreendedores Individuais são homens, com 45% de mulheres, demonstrando uma média nacional traçada por quase todos os estados. O Centro-Oeste é a Região que concentra o maior volume de homens em comparação com as outras localidades. Já a nacionalidade declarada, 996.053 são brasileiros, seguidos pelos bolivianos, portugueses, peruanos e argentinos.

No país 70% dos empresários realizam suas atividades dentro dos seus domicílios. Nessa característica a Região Norte concentra, em comparação com outros, o maior volume de empreendimentos domiciliares sendo 77,6%, seguidos pelo Sul (73%) e Nordeste (71,7%).

Notícias relacionadas