Bombeiros realizam operação em áreas de risco do Estado; somente em JP são 36 co - WSCOM

menu

Paraíba

05/04/2011


CBM realiza operação em áreas de risco

Prevenção

Foto: autor desconhecido.

{arquivo}Uma grande operação batizada de ‘Arca de Noé’ será realizada a partir das 8h da próxima quinta-feira (7) em todo o Estado, pelo Corpo de Bombeiros Militar da Paraíba,
com o objetivo de evitar e minimizar os efeitos decorrentes das chuvas, tais como inundações, deslizamentos, alagamentos, entre outros desastres relacionados às precipitações hídricas.

A ‘Arca de Noé’ faz parte da Operação ‘Fecha Quartel’ quando todas as unidades do Corpo de Bombeiros ficarão somente com o pessoal de serviço de guarda e essenciais. Os demais serão empregados no atendimento às populações que residem em áreas de risco.

Em parceria com a Defesa Civil do Estado, do município de João Pessoa e as coordenadorias de Campina Grande, Guarabira, Patos, Sousa e Cajazeiras o Corpo de Bombeiros Militar realizou levantamento sendo contabilizadas 121 áreas de risco em todo o Estado, sendo 36 em João Pessoa; 36 em Campina Grande; oito em Guarabira; 19 na área de Patos; quatro na região de Cajazeiras e 18 na área de Sousa. No primeiro dia serão atendidas na Capital as comunidades do Timbó, no bairro dos Bancários; Saturnino de Brito (Varadouro), Tito Silva (Miramar), Riachinho (Treze de Maio), Porto de João Tota (Mandacaru) e bairro de São José.

Na manhã da última segunda-feira (4) o comandante do Corpo de Bombeiros, coronel Jair Carneiro de Barros, reuniu comandantes das unidades e oficiais da Corporação para definir como serão realizados os trabalhos nas comunidades.

Com base nas informações coletadas os desastres que ocorrem nos períodos invernosos são provocados por causas de construções sem infra-estrutura em locais inadequados, em áreas de inundações, entre outras, além do acúmulo de lixo, chegando a deixar pessoas desalojadas ou desabrigadas e até vítimas feridas ou fatais.

Prevenção – A operação recebeu o nome ‘Arca de Noé’ por fazer alusão às primeiras ações preventivas em que o patriarca Noé preservou a vida de pessoas e animais quando, se antevendo ao dilúvio, construiu uma arca capaz de salvar muitas vidas, preservando-as da chuva.

Durante a operação os militares do Corpo de Bombeiros irão percorrer as comunidades mais vulneráveis às chuvas em todo o Estado, repassando aos moradores dicas de prevenção e segurança, principalmente diante de um desastre em decorrência de fortes chuvas. Serão distribuídos folhetos.

Segue abaixo a relação das áreas de risco em todo o Estado.

Na cidade de João Pessoa (36)

ComunidadeBairro
TimbóBancários
Saturnino de BritoVaradouro
Santa ClaraCastelo Branco
São RafaelCastelo Branco
Tito SilvaMiramar
São JoséSão José
São Judas TadeuAlto do Mateus
Paulo AfonsoJaguaribe
Asa BrancaRoger
Boa EsperançaCristo Redentor
Maria de NazaréFuncionários II
RiachoTreze de Maio
Novo HorizonteCristo Redentor
ChatubaManaíra
Monte das OliveirasCristo Redentor
Santa Emília de RodatIlha do Bispo
Porto do CapimVaradouro
Felipéia Tambiá
Beira da LinhaAlto do Mateus
Barreira – Cabo BrancoCabo Branco
Citex Ernesto Geisel
Comunidade do SRoger
Jardim MangueiraMandacaru
Santa BárbaraValentina Figueiredo
Nova RepúblicaErnesto Geisel
Comunidade do ArameGrotão
BananeirasGrotão
Porto de João TotaMandacaru
TanqueIlha do Bispo
Mangue SecoIlha do Bispo
EsperançaPadre Zé (Condomínio Esperança)
Rua Ari BarrosoAlto do Mateus
MaribondoValentina Figueiredo (N Mangabeira
São Geraldo (nº 101 a 110)São Geraldo (BR-230
Rio das BombasPadre Zé

Na cidade de Campina Grande foram detectadas 36 áreas de risco localizadas nos seguintes bairros: Acácia Figueiredo, Alto Branco, Araxá, Bela Vista, Bodocongó, Catolé, Castelo Branco, Centenário, Cnetro, Cidades, Conceição, Cruze4io9, Distrito Inustrial, Estação Velha, Itataré, Jardim Continental, ardim Palista, Jarim Tavares, Jeremias, José Pinheiro, Liberdade, Louzeiro, Mirante, Monte Santo, Nações, Nova Brasília, Novo Bodocongó, Palmeira, Pedregal, Santa Rosa, Santa Terezinha, Serrotão, Tambor, Três Irmãs, Velame e Vila Cabral.

Na cidade de Guarabira (oito áreas de risco)

ComunidadeBairro
Rua ProjetadaDo Juá
Avenida Rui BarbosaCordeiro
Rua Dom Pedro IICentro
Rua Padre InácioCentro
Rua Professora IvanildaRosário
Rua Pedro BandeiraRosário
Rua João Bezerra da SilvaConj. João Cassimiro
Praça do JuáDo Juá

Patos (19 áreas de riscos)

Rua ProjetadaSete Casas
Rua SerraSanta Luzia
Rua SerraTeixeira
Rua Janúncio NóbregaCanal do Morro
Rua Rolan TorresSão Sebastião
Rua Maria VieiraVila Cavalcante
Rua Alto CastelianoRio Espinharas
Próximo ao açude de Dr. GeraldoLoteamento Santa Clara
Av. Francisco Barros FigueiraNovo Horizonte
Rua Jarbas MouraNovo Horizonte
Canal – rua Oscar TorresJardim Guanabara
Ruas Inácio do Leão e São JoséJardim Guanabara
rua Inácio do Leão – PUCJardim Guanabara
Quadra de esportes do Vera CruzJardim Redenção
Próximo a ponte do Juá DoceFazenda
Rua Antônio MacedoBelo Horizonte
Rua da BaixaSanto Antônio
Rua Irineu LacerdaMutirão
Rua Joaquim LopesFrei Damião

Cajazeiras e Sousa – Cajazeiras foram contabilizadas quatro áreas de risco todas localizadas nas proximidades do rio do Peixe, inclusive o município de São João do Rio do Peixe. Os bairros mais afetados em Cajazeiras são Cristo Rei, Asa Sul e São José.

A região polarizada pela cidade de Sousa, incluindo Mãe Dágua e Conceição possui 18 áreas de risco, compreendendo bairros do Alto do Cruzeiro, Várzea da Cruz, Guanabara, Angelim, Jardim Sorrilândia e ainda as comunidades de Carnaubinha, Caiçara dos Batistas, Pedregulho, Piau, Pereiros, Curralinhos, Cadeado, Várzeas de Sousa, Várzes do Menino Jesus, Clareão e Lagoa dos Estrelas.

 

Notícias relacionadas