Blog de WS explica derrocada da Esquerda na América Latina - WSCOM

menu

Brasil & Mundo

02/09/2017


WS explica derrocada da Esquerda na A.L.

LEIA A COLUNA

Foto: autor desconhecido.

O colunista e jornalista do WSCOM, Walter Santos, em artigo publicado na manhã deste sábado (2), explica a derrocada da esquerda na América Latina.

Segundo Walter, embora a explicação possa parecer complexa, na prática ela pode ser compreendida observando o histórico de grupos alinhados à expressão Think Tanks – grupos de direita que seriam bancados por grandes capitalistas para inviabilizar governos comunistas.

Leia a coluna na íntegra:

Ainda hoje personalidades políticas brasileiras, a exemplo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, e até latino-americanas, assim como Cristina Kirchner, indagam a si mesmo ou em rodas fechadas o que motivou a manifestação de abril de 2014 por estudantes ter tomado a proporção tamanha até chegar à queda de Dilma Rousseff e, paralelamente noutros casos, à derrocada dos Governos socialistas na América do Sul e América Central com a guinada à Direita. A Venezuela, por exemplo, é outro grande alvo desta grande e forte estrutura bancada pelo Capital e o Governo Americano.

Embora aparente ser algo difícil de explicar ou decifrar, na prática não o é porque basta acompanhar o histórico dos grupos alinhados à expressão THINK TANKS – de Ultra-Direita, bancados por bilionários, empresas, instituições e até o Governo Americano, através do Departamento de Estado, cujo objetivo é fulminar as possibilidades de Governos Socialistas impondo a tese ultra liberal como principal paradigma, tanto que se for possível até Governos são derrubados, a exemplo do Brasil, recentemente.

DEPOIS DE DILMA, O SINDICALISMO

Lula e Kirchner precisam se atualizar rápido porque foram “engolidos” e derrotados por esta ação silenciosa e eficaz desses Grupos THINK TANKS – no Brasil fomentados pelo MBL e Instituto Milenium, de Jorge Gerdau, e outros, como na Argentina comandado pelo Guru desse Movimento, Alejandro Chafuen, responsável pelo treinamento de Kim Kataguari – líder do MBL aos 17 anos. Hoje já são dezenas, todos treinados pelas estruturas norte-americanas, tanto que vão celebrar as “conquistas” em novembro próximo, durante evento em Nova York.

Foi essa estrutura quem bancou com apoio de empresários brasileiros, vide FIESP, toda a mobilização que derrubou Dilma e estraçalhou o Partido dos Trabalhadores.

Mantidos a partir do apoio americano do Atlas Network e por várias instituições, entre elas a Fundação Nacional para a Democracia NED, principal estrutura do Poder norte-americano no universo virtual, eles se utilizam de táticas para derrubar Governos e paradigmas, a exemplo do Sindicalismo brasileiro, cujo foco recentemente implicou na mudança Trabalhista implodindo a contribuição sindical que mantinha 17 mil sindicatos no País deixando o segmento em vias de grave crise.

E mancham a imagem da Esquerda a qualquer preço desqualificando quem contesta tais táticas de guerra.

QUEM SÃO

É preciso admitir a eficácia dessa grande Rede – THINK TANK agindo fortemente em diversos Continentes produzindo grandes mudanças de rumo em Países em nome do Ultra Liberalismo, como pode-se registrar na “Primavera Árabe” que varreu o Oriente Médio promovendo a queda de diversos Governos.
No Brasil, como na Argentina, recentemente, a lição foi aplicada com êxito pegando a Esquerda despreparada para a “guerra virtual”, que alijou Dilma e afetou quase de morte o PT.

Este Movimento de atuação silenciosa e eficaz se notabilizou na Segunda Guerra Mundial, através de outra expressão chamada de BRAIN BOXES (Caixas – Cérebro) quando grupos pequenos de estrategistas discutiam os planos de guerra.

A Internet é fruto deste processo depois se transformado em organização a partir de 1950 com o Instituto de Estudos para Defesa e Segurança. Só que muito tempo atrás, Londres fundara em 1831 a Sociedade Fabiana e, em 1916, surgiu o Brookings Institution.

E COMO AGEM

A atuação dos grupos THINK TANK se dá de forma muito planejada, após treinamento intensivo de pessoas e “futuros” líderes distantes de vínculo com partidos e políticos tradicionais dando impressão de arejamento e distância dos vícios da Política gerando ambientes favoráveis a partir de situações especificas registradas em cada Ambiente alvo.

No Brasil, a semente da derrubada de Dilma tinha a crise política de contestação do PSDB, mas a base do envolvimento da sociedade brasileira se deu a partir de problemas da estrutura pública com aumento no preço da passagem, a gravidade na Saúde até eclodir as denúncias de propinas na Petrobras criando clima favorável à ação eficiente nas Redes Sociais pegando a Esquerda de surpresa e causando derrotas, todas conhecidas.

LUTA EM DESVANTAGEM

As lideranças e estruturas socialistas e/ou próximas dessas vertentes ideológicas vão precisar de muito tempo para entender e reagir diante do prejuízo imenso causado pela ação Ultra Liberal dos grupos, agora melhor conhecidos, mesmo sabendo que contraditoriamente as Redes Sociais terminaram se constituindo em espaço de reação ao movimento de Direita, sem o qual o caos teria se estabelecido.

Trocando em miúdos, o Mundo Digital tem produzido derrotas homéricas à esquerda que, ou reage com inteligência e velocidade, ou naufragará mais ainda.

A Guerra está no mundo da Inteligência Artificial, onde o Sindicalismo não está preparado para acompanhar os avanços.
 

Notícias relacionadas