Blog de WS analisa reforma de Luciano Cartaxo e os efeitos na entrevista de João Azevêdo - WSCOM

menu

Política

08/01/2019


Blog de WS analisa reforma de Luciano Cartaxo e os efeitos na entrevista de João Azevêdo

Walter Santos aborda o timing do governo Azevêdo e comentários dele sobre ajustes na equipe de Luciano Cartaxo

Na imagem, o novo governador da Paraíba e o prefeito da Capital

O Blog do jornalista e analista político, Walter Santos, traz nessa terça-feira (8) mais uma análise sobre a composição dos primeiros dias de governo de João Azevêdo e os novos ajustes na equipe de Luciano Cartaxo que segundo WS, não tem nada de novo e reproduz o DNA puro de Cartaxo sem ampliação de espaços partidários da Oposição.

 

Ainda segundo o Jornalista, quem espera um conflito entre Azevêdo e Ricardo Coutinho não encontrará, já que a postura do novo governador é de alinhamento total entre os dois.

 

Clique aqui e confira outras publicações do Blog de Walter Santos.

 

Confira na íntegra a análise:

 

Os efeitos dos novos ajustes de Luciano, a liderança na Oposição diante da postura e rumo de João Azevedo

Dois fatos políticos marcaram a segunda-feira de janeiro: o anúncio de ajustes no secretariado pelo prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo, com a reinserção na equipe do irmão gêmeo, Lucélio Cartaxo e dos executivos Diego Tavares e Zenidy Bezerra – todos no primeiro escalão. O outro fato político foi a entrevista do governador João Azevêdo no programa Conexão Master onde o mesmo abordou tudo, inclusive as novas nomeações de Cartaxo fazendo restrições.

 

São dois assuntos, em tese, sem nenhuma correlação, mas existem porque perpassam pela política de João Pessoa e do Estado pelo fato do prefeito agir como novo líder da Oposição no Estado, logo afeta João Azevêdo.

 

A ESSÊNCIA DOS AJUSTES
O prefeito promoveu a tal reforma no Secretariado sem nenhuma grande novidade, mesmo a inclusão de Lucélio Cartaxo na equipe, porque os nomes repostos trazem consigo um DNA puro de Luciano Cartaxo, até porque mesmo com a substituição de Cássio Andrade por Sachenka da Hora, ele traz na retaguarda a indicação das Consultoras Aline e Ivna – há tempo de força soberana e incontestável sobre secretários e partidos.

 

Se reparar direito, a reforma não abrangeu o contexto pluripartidário como se imaginava diante do novo tecido político da Oposição pois, ao contrário, tirou do PSDB a indicação do executivo João Furtado.

 

Em síntese, além da marca de ajustes com perfil próximo da confiança absoluta do prefeito, a reforma trouxe para perto de Luciano Cartaxo a questão então inexistente do Nepotismo por conta da indicação de Lucélio.

 

Há quem defenda a tese de que pode – se indicar parente para o 1° Escalão, mesmo havendo opiniões em contrário, afirmando haver jurisprudência no STF, a questão extrapola a legalidade porque se trata também de efeito ético, ou seja, é encarada como item imoral – mesmo quando legal- nos tempos de hoje.

 

Ele deve entender a força deste aspecto mais na frente quando for enfrentar Ricardo Coutinho na sua sucessão.

 

O NOVO CONTEXTO DE JOÃO
Na entrevista ao “Conexão Master”, ancorado por Alex Filho, o governador falou de muitos assuntos, revelou que se prepara para morar na Granja Santana por necessidade estrutural, admitiu dar novo rumo ao Palácio da Redenção, falou de projetos, Bolsonaro, desafios e comentou sobre Luciano Cartaxo.

 

– Poderia ter feito escolhas por critérios mais qualificados – assim definiu os ajustes do prefeito.

 

Este comentário de Azevêdo intui que, quem imaginava qualquer ruido entre o atual e ex-governador Ricardo Coutinho, pode ir tirando o “cavalinho da chuva”, porque inexistirá. Azevêdo se diz vacinado contra intriga e tratou o ex como amigo/irmão.

 

Na entrevista, definiu o turismo, agrobussines e agricultura familiar como três segmentos em alta nos próximos quatro anos.

 

Ele não exclui outros ramos da atividade econômica, mas o Polo Cabo Branco é prioridade número 1 da CINEP – como havia antecipado o Portal WSCOM – assim como os ambientes geográficos pós Canal Acauã atraindo negócios e as 100 mil pessoas envolvidas com a Agricultura Familiar.

 

Azevêdo ainda aguarda o governo Bolsonaro mas não crê em retaliações.
Sobre a possibilidade de RC ser candidato em 2020, ele disse que se for essa opção é imbatível mas depende exclusivamente do ex-governador.

 

SÍNTESE GERAL
Como se diz lá na Torre, chance zero de uma composição do governador com o prefeito.
Tudo continua como dantes no quartel de Abrantes.