Bélgica vira sobre o Japão nos acréscimos e enfrentará o Brasil nas quartas - WSCOM

menu

Esporte

02/07/2018


Bélgica vira sobre o Japão nos acréscimos e enfrentará o Brasil nas quartas

Foto: autor desconhecido.

Quando a Bélgica levou dois gols do Japão no início do segundo tempo, memes e piadas inundaram rapidamente a internet provocando a chamada “ótima geração belga”. Mas, provando sua qualidade e demonstrando versatilidade, a seleção europeia conseguiu superar os erros crassos de sua defesa e virar o jogo para 3 a 2 nos acréscimos da partida, após contra-ataque fulminante que culminou no gol salvador de Chadli. Nas quartas de final, na sexta-feira, a Bélgica enfrenta o Brasil.

Depois de poupar quase todos os titulares contra a Inglaterra, o técnico espanhol Roberto Martínez armou a Bélgica em seu já característico 3-4-3 ofensivo, com De Bruyne e Witsel como volantes que saem para o jogo e uma linha de três de ataque poderosa, formada por Hazard, Lukaku e Mertens. Na zaga, o experiente Kompany voltou ao onze inicial, totalmente recuperado de lesão.

Do lado oposto, Akira Nishino realizou seis mudanças em relação ao Japão misto que perdeu por 1 a 0 para a Polônia, com destaque para a volta dos dois principais meio-campistas da equipe nipônica, Kagawa, do Borussia Dortmund, e Inui, que atua pelo Real Betis.

Pouco a pouco, contudo, a Bélgica passou a trocar passes e ensaiar ataques mais contundentes. Como era difícil penetrar, os europeus alternavam estratégias: triangulações rápidas em alguns momentos, cruzamentos para Lukaku em outros e até chutes de fora da área. Tudo o que a Espanha deveria ter feito contra a Rússia.

Apenas no finalzinho do primeiro tempo o Japão buscou atacar. Aos 44 minutos, Osako tentou dominar na área e não conseguiu. A bola foi rasteira, devagar, e passou por baixo das pernas de Courtois, que quase levou um frango homérico.

No comecinho do segundo tempo, aos três minutos, uma falha individual castigou a Bélgica. Em contra-ataque japonês, Vertonghen deixou passar uma bola que estava à feição para o dominío. Atento, Haraguchi aproveitou, chutou cruzado e fez 1 a 0 para o Japão.

Imediatamente, a equipe europeia tentou revidar, com um belo chute na trave de Hazard. Mas o belo chute que entrou foi o de Inui, que recebeu na entrada da área e bateu colocado, de chapa, para vencer Courtois e marcar 2 a 0.

Com calma, os belgas acordaram do baque e partiram para cima. De cabeça, Lukaku quase diminuiu. Na sequência, o atacante foi parado por Yoshida, que fazia partida impecável. O gol belga só veio após uma lambança japonesa. Depois de uma série de bolas espirradas, Vertonghen cabeceou buscando o passe, mas, sem querer, encobriu o goleiro Kawashima, que estava mal posicionado.

Foi então que a mão de Martínez mexeu com o jogo, quando o grandalhão e contestado volante Fellaini, de 1,94m, que havia entrado há pouco em campo, substituindo o atacante Mertens, subiu ao terceiro andar para dar cabeçada e deixar tudo igual em 2 a 2.

E a virada saiu dos pés de Chadli, que também entrou na segunda etapa, na vaga de Carrasco. Após escanteio do Japão, Courtois tocou para De Bruyne, que avançou e deu passe primoroso para Meunier. O meia rolou rasteiro, Lukaku deu um corta-luz brilhante e Chadli completou para o gol, sacramentando a vitória belga, aos 48 minutos do segundo tempo.

Nas quartas de final, Bélgica enfrenta o Brasil, no maior teste de ambas as equipes nesta Copa do Mundo. Certeza de partida franca e técnica para quem gosta de futebol bem jogado. E também de muitas emoções, caso a zaga belga siga dando tantos espaços.

Extra

Notícias relacionadas