Bahia e Grêmio empatam em 1x1 - WSCOM

menu

Mais Esporte

07/08/2005


Bahia e Grêmio empatam em

Bahia e Grêmio ficaram no empate, 1×1, na tarde deste domingo, em Salvador, partida que encerrou a 16ª rodada da primeira fase do Campeonato Brasileiro da Série B. Com o resultado, o clube baiano chegou aos 19 pontos e avançou para a 16ª colocação, saindo da zona de rebaixamento da competição, mas permanecendo em situação delicada.

Já o Grêmio, que agora totaliza 26 pontos, se mantém no grupo dos oito melhores, aqueles que passarão à próxima fase da Segundona. O time gaúcho é agora 5º colocado e, como tem três jogos em casa dos cinco que ainda restam nesta etapa inicial, a classificação está bem encaminhada.

Bahia e Grêmio não se enfrentavam, pelo Brasileirão, desde 2003, ano em que o clube de Salvador foi rebaixado. O Tricolor, por sua vez, caiu no ano passado, determinando neste 2005 o reencontro de dois dos mais populares times do País.

Com o empate, se mantém um tabu de longa data: o Grêmio não vence o Bahia, na casa desse, desde 1996, ou seja, há nove anos.

O jogo

Um chute de Jair, de fora da área, aos 2min de jogo, mostrou a disposição de um time que precisava, muito mais do que o adversário da vitória. Mas um minuto depois o time gremista deu o troco, numa “bomba” desferida por Marcelo, obrigando o goleiro Emerson a uma grande defesa. O representante gaúcho mostrava assim, bem cedo, que não aceitaria passivamente a pressão dos donos da casa.

Aos 13min, num cruzamento da ponta esquerda, o centroavante Viola subiu mais que os zagueiros e cabeceou, fazendo Galatto executar sua primeira defesa na partida. Mas nada muito preocupante. Chance melhor foi aos 16, quando Dill invadiu a área pela direita e bateu rasteiro, no canto inferior esquerdo, e aí sim o goleiro gremista teve de se esticar todo para salvar para escanteio.

Aos 24 o golaço, um dos mais bonitos do ano. Dill levantou para Viola, o centroavante matou no peito e, de bicicleta, pé esquerdo, acertou o canto direito. O goleiro só olhou, admirado. Um lance realmente espetacular.

O Grêmio foi obrigado a se abrir um pouco mais e teve boa chance de empatar aos 32. Marcelo Costa cruzou da direita e Marcel, na pequena área, fez o mais difícil, conseguindo cabecear por cima da meta.

Apesar da pressão que conseguiu exercer no final do primeiro tempo, o time gaúcho não conseguiu igualar o marcador e Viola desceu para o vestiário, no intervalo, sob intensos aplausos dos torcedores. “Foi demais”, disse ele, enquanto atirava beijos em direção às arquibancadas, em agradecimento.

Mano Menezes, técnico do Grêmio, antes mesmo de se reunir com o grupo, anunciou que teria de mudar seu time. “O Samuel está muito isolado lá na frente”.

Quem entrou foi Anderson, no lugar de Paulo Ramos. O meia passou a se revezar com Marcel no auxílio a Samuel e o time ficou com maior diversidade de jogadas ofensivas. Mesmo assim, sem muita objetividade para definir as jogadas.

Pelo lado do Bahia, o técnico Procópio Cardoso decidiu reforçar seu sistema de defesa e colocou, aos 7min, o volante Cícero no lugar de Fernando Miguel. Mas, dois minutos depois, apesar da cautela, Marcel invadiu a área pela esquerda e chutou no canto direito, mas Emerson fez ótima defesa.

No lance seguinte, o mesmo Marcel, agora pela direita, dentro da pequena área, conseguiu colocar a bola para as redes mas o árbitro carioca Djalma Teixeira, equivocadamente, anulou, dando impedimento.

Aos 11 o zagueiro Alysson puxou Samuel, quando esteve invadia a área e ficaria cara-a-cara com Emerson, e acabou expulso. O Tricolor gaúcho ficou com um a mais em campo e, imediatamente, Mano Menezes tentou tirar proveito disso e colocou mais um atacante em campo, Pedro Júnior, no lugar do volante Pedrinho.

Ciente de que o sufoco se intensificaria, Procópio tratou de repor um zagueiro, tirando o atacante Uéslei. Apesar disso o Grêmio se aproximava cada vez mais do gol. Aos 18, Anderson chutou de fora da área e Emerson salvou de forma sensacional, para escanteio.

Tudo indicava que o gol de empate sairia a qualquer momento. Aos 22 Pedro Júnior esteve próximo disso, mas da entrada da grande área bateu forte demais e a bola foi por cima da trave.

O Bahia tentava, vez ou outra, um contra-ataque, mas sequer conseguia se aproximar da área gremista. E aos 29, se fez a justiça: Anderson, que inexplicavelmente ficara no banco de reservas, fez uma jogada sensacional, invadiu a área a dribles e fez o passe para Samuel, que acertou o canto inferior direito de Emerson.

A pressão gremista, devido à superioridade numérica, se mantinha, comandada pelo jovem Anderson. Mas o Bahia, desordenadamente, dando chutões para todos os lados, conseguiu resistir e ao menos somou mais um pontinho.

BAHIA 1×1 GRÊMIO

Bahia

Emerson; Paulinho, Alysson, Pereira e Luciano Amaral; Neto, Fernando Miguel (Cícero) e Jair; Dill (Marcelinho), Viola e Uéslei (Gustavo)

Técnico: Procópio Cardoso

Grêmio

Galatto; Patrício, Domingos, Tiago Prado e Escalona (Beausejour); Pedrinho (Pedro Júnior), Sandro, Paulo Ramos (Anderson), Marcelo Costa e Marcel; Samuel

Técnico: Mano Menezes

Data: 7/8/2005 (domingo)

Local: Estádio da Fonte Nova, em Salvador

Público: 32.843

Renda: R$ 219.310,00

Árbitro: Djalma Beltrami Teixeira (RJ)

Auxiliares: Edinei Mascarenha e Jorge Roxo (RJ)

Cartões amarelos: Sandro (Grêmio)

Cartão vermelho: Alysson (Bahia)

Gols: Viola (aos 24min do 1º tempo); Samuel (aos 29min do 2º tempo)

Notícias relacionadas