Ausente no 2º turno, Ciro se coloca como opositor de Bolsonaro: "Nos enfrentará" - WSCOM

menu

Política

29/10/2018


Ausente no 2º turno, Ciro se coloca como opositor de Bolsonaro: “Nos enfrentará”

Foto: autor desconhecido.

O ex-ministro e candidato à Presidência da República no primeiro turno da eleição, Ciro Gomes (PDT) usou sua página no Facebook para dizer que presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), enfrentará todas as forças políticas que se colocaram como oposição as propostas representadas pela chapa de extrema direita

“Que não pense o senhor presidente eleito, nem de longe, em violar o respeito que deve ao conjunto da nação, independentemente de configurarem minorias ou grupos sociais críticos às suas posturas. Só assim merecerá o respeito à autoridade que adquiriu nas eleições”, disse Ciro na nota em referência aos constantes ataques feitos por Bolsonaro a diversos segmentos sociais.

Para Ciro, “essa oposição que nasce não se confunde com forças que só defendem a democracia ao sabor de seus interesses mesquinhos ou crescentemente inescrupulosos ou mesmo despudoradamente criminosos”.

Leia a íntegra da nota divulgada por Ciro Gomes em seu Facebook:

“A um democrata verdadeiro o que se impõe após o segundo turno é simplesmente reconhecer a vitória eleitoral daquele que teve a maioria relativa dos votos do povo brasileiro.

Para mim, que cultivo a correção de conduta, impõe-se, também, desejar boa sorte ao presidente eleito Jair Bolsonaro para que ele possa fazer o melhor pela sofrida nação brasileira.

Que execute o honroso mandato que a maioria dos brasileiros e brasileiras lhe outorgou dentro das regras da Constituição Federal e do estrito respeito às normas do Estado de Direito Democrático.

Que não pense o senhor presidente eleito, nem de longe, em violar o respeito que deve ao conjunto da nação, independentemente de configurarem minorias ou grupos sociais críticos às suas posturas. Só assim merecerá o respeito à autoridade que adquiriu nas eleições.

Fora disto, nos enfrentará, a todos nós que lhe movemos oposição dentro do marco da decência e do espírito público. Essa oposição que nasce, não se confunde com forças que só defendem a democracia ao sabor de seus interesses mesquinhos ou crescentemente inescrupulosos ou mesmo despudoradamente criminosos”.

Brasil 247

Notícias relacionadas