Ativistas interrompem pesquisa da Petrobras na Nova Zelândia - WSCOM

menu

Economia & Negócios

10/04/2011


Petrobrás: Ativista interrompe pesquisa

Protestos

Foto: autor desconhecido.

A Petrobras suspendeu neste domingo uma pesquisa do fundo marinho no norte da Nova Zelândia depois que vários ativistas pularam na água para obstaculizar a passagem do navio que realiza o estudo, informa a imprensa local.

A Petrobras iniciou na semana passada uma prospecção para localizar jazidas de gás e petróleo em cerca de 12 mil km quadrados da bacia de Raukumara, diante do Cabo do Leste, após receber no ano passado a permissão do governo neozelandês.

Desde então, uma pequena frota de cinco embarcações com 50 ativistas a bordo, entre eles membros do Greenpeace e de uma tribo maori que vive no Cabo do Leste, navega pela região. Os manifestantes mergulham e se submergem sob o Orient Explorer que recebeu a ordem da companhia de suspender a prospecção ao considerar que os trabalhos eram demais perigosos.

"Isto não é um protesto. É um ato de defesa de nossas terras e águas ancestrais que nos sustentaram durante gerações", disse o porta-voz maori, Rikirangi Gage. O porta-voz da Petrobras, Mark Blackham, minimizou o impacto do protesto nesta operação da companhia que se prevê que dure cerca de 60 dias.

Notícias relacionadas