Ataque a tiros em duas mesquitas na Nova Zelândia deixa um saldo de 49 mortes - WSCOM

menu

Internacional

15/03/2019


Ataque a tiros em duas mesquitas na Nova Zelândia deixa um saldo de 49 mortes

O número de vitimas fatais foi confirmado pela primeira-ministra do país, Jacinda Ardern. Outros 27 ficaram feridos e foram socorridos para hospitais locais.

Imagem reprodução

Duas mesquitas na cidade de Christchurch, na Nova Zelândia, foram alvo de um ataque a tiros que deixou 49 mortos nesta sexta-feira (15). O número de vitimas fatais foi confirmado pela primeira-ministra do país, Jacinda Ardern. Outros 27 ficaram feridos e foram socorridos para hospitais locais.

 

​Segundo Mike Bush, comissário da polícia neozelandesa, quatro suspeitos foram detidos por terem participado da ação. Bush afirmou que “a polícia está respondendo com toda a sua capacidade para gerenciar a situação, mas o ambiente de risco continua extremamente alto”. Muçulmanos e muçulmanas foram o alvo do atentado que, segundo as primeiras informações, teria sido cometido por australianos de extrema-direita e supremacistas.

 

LEIA MAIS: Confirmadas identidades das vítimas do massacre da escola de Suzano; veja

 

MEDIDAS EMERGÊNCIAS

A reportagem do jornal Folha de S. Paulo destaca aque “Mike Bush informou que todas as escolas de Christchurch fecharam as portas e que toda a região central da cidade entrou em toque de recolher. Testemunhas afirmaram que por volta das 13h40 local (21h40 de quinta no horário de Brasília) um homem branco vestido com trajes militares invadiu a mesquita Masjid Al Noor, no centro da cidade, e começou a atirar.”

 

Ainda de acordo com o jornal, “pessoas que estavam no local afirmaram que tiveram que sair correndo para escapar dos ataques, muitos descalços —é costume tirar os sapatos dentro da mesquita.  As testemunhas descreveram ao jornal local New Zealand Herald um cenário com muito sangue e com diversos corpos. O atirador teria percorrido todas as salas do local, disparando contra os frequentadores, que tentavam fugir. Mais de 200 pessoas estavam no local no momento que os tiros começaram, incluindo um time de críquete de Bangladesh, que conseguiu escapar.”