Ataque a Gaza mata nove palestinos - WSCOM

menu

Internacional

13/06/2006


Ataque a Gaza mata nove

A Força Aérea israelense atacou um veículo em Gaza, matando pelo menos nove palestinos, entre eles duas crianças.

O ataque feriu ainda 20 pessoas – um número considerado alto para ataques deste tipo em Gaza.

Os israelenses confirmaram a operação e, segundo as Forças Armadas, “o carro estava a caminho de um ataque com foguetes a Israel”.

O grupo militante Jihad Islâmico disse que alguns de seus integrantes foram mortos no ataque aéreo.

Foguetes têm sido lançados freqüentemente contra Israel, vindos de Gaza, nas últimas semanas. Israel também tem realizado ataques aéreos regularmente.

Mesmo assim, este foi um dos ataques aéreos mais violentos já ocorridos.

Revolta – Após o ataque aéreo, uma van amarela completamente destruída foi cercada pelo sangue das vítimas numa das principais estradas que atravessam o norte de Gaza.

Há informações de que a primeira explosão foi logo seguida por um segundo míssil, que atingiu curiosos que haviam se dirigido ao local.

Houve cenas de revolta popular enquanto civis ensangüentados eram levados para hospitais locais.

No necrotério do hospital, uma mulher gritava: “Morte a Israel! Morte à ocupação!”

A troca de mísseis entre Israel e a Faixa de Gaza aumentou nos últimos dias, depois da morte de oito palestinos numa praia nesta sexta-feira.

A explosão foi inicialmente atribuída a um ataque israelense que teria atingido membros de uma família que fazia um piquenique na praia.

No entanto, um inquérito militar israelense estaria perto de decidir que a responsabilidade não foi de Israel, de acordo com informações da mídia local.

Fim da trégüa e estado de alerta – Depois do ataque à praia, o grupo militante Hamas, que lidera o governo palestino, anunciou que estava suspendendo a trégüa voluntária e lançou foguetes contra Israel.

O Hamas e facções do Fatah, organização do presidente palestino Mahmoud Abbas, estão envolvidos em confrontos e disputas desde a vitória do Hamas nas eleições gerais palestinas, em janeiro passado.

Abbas colocou suas forças de segurança em estado de alerta depois dos choques ocorridos na Faixa de Gaza e Cisjordânia nos últimos dias.

Abbas ordenou que soldados assumissem o controle depois que militantes correligionários de seu grupo, o Fatah, incendiaram os escritórios do Hamas em Ramallah.

Notícias relacionadas