Assista: Bolsonaro garante expulsão dos médicos cubanos "numa canetada só" - WSCOM

menu

Política

16/11/2018


Assista: Bolsonaro garante expulsão dos médicos cubanos “numa canetada só”

O presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), havia prometido em vídeos antes de ser eleito “numa canetada só” e usar a revalidação de diploma de médicos para “mandar todos esses cubanos de volta para lá”.

Em vídeo gravado antes de ser eleito, dirigido a estudantes de medicina, Bolsonaro já previa a saída dos médicos. “Ao pavilhão med PUC Camp, Jair Bolsonaro, tamo junto. Em 2019, ao lado de vocês, dar uma canetada mandando 14 mil médicos [faz sinal de aspas com os dedos] lá para Cuba. Quem sabe ocupando Guantanamo que está sendo desativada para atender os petistas que vão para lá, tá ok?”

A gravação foi publicada no dia 17 de outubro pelo deputado federal Paulo Pimenta (PT).

Leia também: Prefeito do Vale do Piancó revela importância de médico cubano na cidade

O presidente eleito acusou na quarta-feira (14) a “ditadura cubana” de “grande irresponsabilidade” por desconsiderar impactos negativos na vida e saúde dos brasileiros.

Indicou que estaria disposto a manter a participação dos profissionais no Mais Médicos, mas que “infelizmente” Cuba não aceitou as condições impostas.

Bolsonaro disse que condicionou a permanência dos médicos à aplicação de teste de capacidade, à entrega de salário integral aos profissionais e à liberdade que eles deveriam ter para trazer suas famílias ao Brasil.

Atualmente, o programa soma 18.240 vagas, sendo que cerca de 2.000 estão abertas, sem médicos. Do total de vagas preenchidas, 8.332 são ocupadas por médicos cubanos, que vem ao Brasil por meio de uma cooperação com a Opas. Além destas, o país tinha 4.525 vagas ocupadas por brasileiros formados no Brasil, 2.824 brasileiros formados no exterior e 451 intercambistas (médicos de outras nacionalidades).