Assessores da Casa Branca podem ser indiciados nesta sexta - WSCOM

menu

Internacional

28/10/2005


Assessores da Casa Branca podem

Dois assessores ligados à presidência dos Estados Unidos podem ser indiciados nesta sexta-feira por envolvimento no vazamento ilegal para a imprensa da identidade de uma agente da CIA (Agência de Inteligência Americana).

Os assessores Lewis Libby e Karl Rove vêm sendo investigados pelo suposto envolvimento na divulgação do nome do agente, o que é um crime federal nos Estados Unidos.

Clique aqui para entender melhor o caso

Há indicações de que Libby, chefe de gabinete do vice-presidente Dick Cheney, pode ser acusado de mentir ao júri do processo que analisa o vazamento.

Segundo o jornal The New York Times, Rove, considerado o mais importante conselheiro do gabinete do presidente George W. Bush, deve escapar de uma acusação imediata, mas deve continuar sendo investigado.

Acusação

A identidade de Valerie Plame foi revelada à imprensa em 2003 depois que seu marido, o diplomata Joseph Wilson, acusou a administração Bush de manipular informações secreta para conseguir apoio para a guerra no Iraque.

Wilson afirma que a revelação do nome de sua mulher foi feita para abalar sua credibilidade. Outros levantaram a possibilidade de que o vazamento ocorreu em resposta a críticas do diplomata dirigidas ao governo.

Uma das possibilidades de desfecho do episódio é que o promotor especial que está cuidando o caso, Patrick Fitzgerald, encerre as investigações sem acusações ou outras medidas.

Ainda há a possibilidade de Fitzgerald pedir mais tempo para reunir mais provas contra Karl Rove.

Libby e Rove comentaram o vazamento da identidade da agente com jornalistas, em 2003 e os dois negaram ter revelado o nome de Valerie Plame.

Notícias relacionadas