Assessor diz que documento enviado tinha características de dossiê - WSCOM

menu

Brasil & Mundo

20/05/2008


Assessor diz que documento enviado

O assessor do senador Álvaro Dias (PSDB-PR), André Fernandes, disse nessa terça-feira (20) que as planilhas que recebeu por e-mail do ex-secretário de controle interno da Casa Civil, José Aparecido Nunes Pires, tinham características de dossiê. Segundo ele, as informações gravadas nas planilhas eram de vários processos e não discriminavam gastos naturais, “apenas gastos exóticos”.

O deputado Carlos Sampaio (PSDB-SP), um dos oito parlamentares com acesso aos dados dos gastos com fundo de suprimentos da presidência da República que estão no Tribunal de Contas da União (TCU), disse que nos documentos disponíveis no tribunal não é dessa forma que as informações são arquivadas.

“A planilha que ele me enviou tinha apenas gastos exóticos e tinha uma coluna com as folhas do processo referente a esses gastos. Isso não é comum. O correto é constar todas as informações do processo e não apenas algumas pinçadas. Por isso, eu avalio que o que ele me passou era um dossiê”, argumenta o assessor.

Sampaio concordou com Fernandes e disse que no TCU realmente não é possível pinçar dados e que as planilhas disponíveis aos parlamentares são montadas com processos inteiros.

Amizade – André Fernandes disse ainda que não é mais amigo do ex-secretário de controle interno da Casa Civil, José Aparecido Nunes Pires, e que há algum tempo que os dois não são próximos. Contudo, os membros governistas da CPMI dos Cartões Corporativos estão tentando reforçar a tese de que o assessor parlamentar recebeu os dados do Fundo de Suprimentos de Fundos (Suprim) de Pires e o traiu ao passar informações a Dias.

“Eu não sou criança, ele não é criança. Não tinha porque avisá-lo antes de repassar ao meu chefe”, disse Fernandes.

Segundo o deputado Paulo Teixeira (PT-SP), a relação dos dois era próxima. O deputado Carlos Willian (PTC-MG) também foi na mesma linha e disse que “está claro que houve uma traição” por parte do assessor.

“O senhor revelou aqui que Aparecido não mencionou a palavra dossiê durante o almoço de vocês. E quero dizer que o senhor deve ter grande influência entre os senadores de oposição porque os fez acreditar numa tese que está caindo por terra aqui (a de que foi preparado um dossiê contra a oposição)”, disse Teixeira.