Artistas pintam mural de 10 metros representando a força da mulher em Carapibus - WSCOM

menu

Artes

30/07/2018


Artistas pintam mural de 10 metros representando a força da mulher em Carapibus

Foto: autor desconhecido.

Um mural tematizando a presença e a força da mulher na cultura e na sociedade. Esse é o resultado de um encontro entre os artísticas plásticos William Macedo, Juliana Alves (ambos do Brasil) e Axel Arias (Argentina). Os três participaram de uma ação criativa neste final de semana durante a residência artística promovida pelo Ateliê da Galeria Valentim, em Carapibus (Conde, PB).

Os artistas pintaram de forma coletiva, mas  cada um revelando o seu próprio estilo e poética. O artista visual argentino Axel Aria realizou uma releitura da mitologia religiosa, tendo Iemanjá como centro, indicando a metáfora da mulher que emerge das águas. William Macedo, por sua vez, pintou a figura de uma Iracema – em referência à literatura clássica de José de Alencar – como uma mulher índia, guerreira e protetora, ambientada na praia de Tambaba. E Juliana Alves, mestranda pelo Programa de Pós-graduação em Artes Visuais na UFPB/UFPE, pintou um auto-retrato para simbolizar a presença da mulher nas artes plásticas brasileiras.

Todas as pinturas interagiram e trouxeram como resultado um mural de 10 metros largura por dois metros de altura. “Foi um final de semana criativo e isso nos permitiu um maior diálogo. Pensamos coletivamente o mural e cada um com sua poética específica foi dando forma ao mural que tem as marcas e representações da força da mulher”, disse Juliana Alves – que coordena as ações da residência artística.

Ela explicou que a residência artística é uma maneira de o ateliê está sempre promovendo encontro com artistas de diversas áreas, como artes visuais, música e literatura. Há quinze dias que os artistas argentinos Axel Arias e Roccio Manzano vem pintando cenas em ambientes públicos e privados das praias de Jacumã e Carapibus – destacando-se os painéis na Casa Rosa, na Trattoria Rústica e no restaurante Turek.

Neste final de semana a ação se voltou para o próprio ateliê Valentim. William Macedo conta que a experiência foi riquíssima. “Podemos, em um curto período de tempo, dar forma a uma arte coletiva sem perdermos a nossa individualidade”, destacou. A interação entre os artistas tem sido a marca da residência artística, pela avaliação de Axel Arias, que também é músico. Ele diz que além de melhorar o domínio da língua portuguesa está conhecendo técnicas novas e ampliando seu portfólio. “Tem sido tudo muito bom. Não só pelos painéis que estou conseguindo realizar, mas por todo esse contato com outros artistas da cidade e da Paraíba”, finalizou.