Argentina garante que mantém ampliação de gasodutos para enfrentar crise - WSCOM

menu

Economia & Negócios

30/07/2007


Argentina garante que mantém ampliação

O ministro argentino do Planejamento, Julio de Vido, assegurou hoje que as obras para ampliar os gasodutos “estão em andamento”, após as versões que falavam da paralisação dos projetos, quando o país atravessa problemas energéticos.

“As obras estão em andamento e os volumes de gás estão assegurados. As empresas estão todas em processo administrativo ou de compras, o que assegura 60% das obras para o prazo 2008-2009”, afirmou De Vido, em declarações à “Radio 10”, de Buenos Aires.

O ministro rebateu uma informação publicada hoje no jornal “La Nación”, que adverte contra a paralisação “de todas as obras de ampliação de gasodutos planejadas para aliviar a crise energética”.

Segundo fontes consultadas pelo jornal, os projetos – que compreendem 1.500 quilômetros de encanamentos – “estão neste momento totalmente paralisados” devido a um escândalo de corrupção.

No entanto, De Vido disse que o cronograma ainda está valendo e que as obras já licitadas começarão “em 15 dias”.

“Estão sendo feitas as obras de que o país precisa. Acabamos de passar o inverno mais frio em 45 anos e a seca mais pronunciada dos últimos 30 anos só com restrições às indústrias”, afirmou.

Os problemas energéticos no país têm causado desde maio a escassez de gasóleo e racionamentos de gás e eletricidade.

Em maio de 2004, no meio de outra crise energética, o Governo argentino lançou um ambicioso plano que buscava ampliar as áreas de transporte de gás, entre outras iniciativas.

O Governo também lançou a construção do Gasoduto do Nordeste, que levaria gás da Bolívia para as províncias do litoral e Buenos Aires, que originalmente estaria finalizado em 2006.

Mas os dois países lançaram este mês a licitação para a compra de materiais destinados à construção do gasoduto, cujo investimento pode superar US$ 2 bilhões.

Notícias relacionadas