Argentina busca vaga imediata contra tensão da Sérvia - WSCOM

menu

Mais Esporte

16/06/2006


Argentina busca vaga imediata contra

Para não correr o risco de ver repetida a tragédia de ser eliminada logo na primeira fase da Copa, como aconteceu em 2002, a Argentina entra na Veltins-Arena de Gelsenkirchen, nesta sexta, às 10h (de Brasília), para vencer a Sérvia e Montenegro e esconder mais um pouco do trauma que se arrasta pelos últimos quatro anos.

No Mundial disputado no Japão e na Coréia do Sul, a Argentina venceu o primeiro jogo, contra a Nigéria, mas acabou desclassificada ao perder para a Inglaterra e empatar com a Suécia. E agora que venceu a Costa do Marfim na primeira rodada do Grupo C, a equipe não vê a hora de acelerar sua passagem às oitavas-de-final, fase que enfrentaria uma das duas melhores equipes do Grupo D.

E para tentar abafar a Sérvia e Montenegro em busca da vitória, o técnico José Pekerman decidiu investir em uma escalação mais ofensiva, com a saída de Cambiasso para a entrada de Lucho González, que entrará com a responsabilidade de dar maior equilíbrio ao meio-campo e, principalmente, dar mais consistência e segurança para Riquelme armar as jogadas e surgir como finalizador ao lado dos atacantes Crespo e Saviola.

“Isto não foi feito apenas em benefício do Riquelme, mas para dar maior circulação (da bola) que nos permita fazer uma pressão constante”, afirma Pekerman, preocupado com a possibilidade da Argentina conceder aos sérvios e montenegrinos os mesmos espaços encontrados pelos marfinenses no final do segundo tempo da primeira partida, quando a equipe africana diminuiu a vantagem para 2 a 1 e quase chegou ao empate.

As alternativas táticas de Pekerman, porém, ficarão mais escassas para futuras alterações durante a partida. Reservas contra a Costa do Marfim, os atacantes Messi e Tevez deverão esperar mais um pouco para estrear, já que o primeiro foi poupado do último treino em razão de dores no pé, enquanto o jogador do Corinthians passou mal nesta quinta, quando ficou no hotel da seleção argentina depois de ter vomitado.

Empatada com a Holanda com três pontos, mas com vantagem na liderança por ter marcado um gol a mais, a Argentina quer chegar à última rodada em situação confortável, já que enfrentará justamente os holandeses, que nesta segunda rodada irão enfrentar a Costa do Marfim.

Por isso, não se ilude com o atual momento da seleção de Sérvia e Montenegro, que após ver seu elenco ficar reduzido com a desistência do meia Petkovic em razão da pressão da imprensa local por ser simplesmente o filho do técnico, entrou em crise completa com a derrota por 1 a 0 para a Holanda.

“A Argentina está pronta para jogar independente da forma como a Sérvia vai jogar”, afirma Pekerman, já preparado para combater as diversas escalações alternativas que o rival Ilija Petkovic pode lançar mão para o confronto desta sexta. “Eles tem a opção de usar o Kezman na frente, mas também podem ter o (Savo) Milosevic e o Zigic, que são altos e podem ser um fator decisivo”.

Os palpites de Pekerman estão bem próximos da realidade, já que Petkovic sinaliza que irá sacar o atacante Milosevic, que foi substituído no segundo tempo da partida contra a Holanda por Zigic, grandalhão de 2,02m que deverá ser o parceiro de Kezman, principal atacante de Sérvia e Montenegro mas que teve atuação pífia na primeira partida.

A má fase, porém, é o menor dos problemas que afligem atualmente a seleção de Sérvia e Montenegro, que nesta semana viveu uma série de conflitos internos, incluindo discussões entre o meia Stankovic e o atacante reserva Ljuboja, reclamações públicas dos jogadores sobre a escalação escolhida por Petkovic para a partida de estréia e críticas contra a imprensa local, acusada por técnico e jogadores de “fabricação” de notícias.

Para complicar ainda mais a situação de Sérvia e Montenegro, o zagueiro Vidic, considerado peça fundamental no esquema defensivo apelidado de “Famous Four”, sofreu contusão e deixou o elenco com apenas 21 jogadores.

Mesmo assim, o técnico Ilija Petkovic parece mais preocupado com as dificuldades que a Argentina poderá impor do que com as confusões que vêm minando a sua equipe.

“Nossa única prioridade é marcar os gols quando tivermos as oportunidades, porque contra adversários como os nossos as chances vão e vem muito rapidamente, por isso temos de aproveitar”, diz Petkovic, que contra a Argentina irá dirigir a seleção de Sérvia e Montenegro pela centésima vez.

“Estou honrado por ter representado 99 vezes o meu país, e posso prometer que iremos jogar com nossos corações para conseguirmos o resultado contra os argentinos, não importa o que aconteça em campo”, declarou Petkovic.

Argentina

Abbondanzieri; Burdisso, Ayala, Heinze e Sorín; Mascherano, Lucho González, Rodriguez e Riquelme; Saviola e Crespo.

Sérvia e Montenegro

Jevric; Duljaj, Gavrancic, Krstajic e Dragutinovic; Nadj, Stankovic, Djordjevic e Koroman; Kezman e Zigic (Milosevic).

Local: Veltins-Arena, em Gelsenkirchen

Capacidade: 48.426 lugares

Árbitro: Roberto Rosetti (COL)

Assistentes: Cristiano Copelli e Alessandro Stagnoli (ITA)

Horário: 10h (de Brasília)