Arctic Monkeys ousa com álbum honesto e sem truques - WSCOM

menu

Música

11/05/2018


Arctic Monkeys ousa com álbum honesto e sem truques

Sexto álbum da banda inglesa parece disco solo do vocalista Alex Turner, com influências de pianistas e de Lô Borges. Letras são sobre internet, smartphones, Strokes e outras obsessões do cantor

Foto: autor desconhecido.

Arctic Monkeys, assim fica difícil gostar de você”, poderão dizer indie roqueirinhos de 20 e tantos anos sobre “Tranquility Base Hotel & Casino”.

Pensaram que a evolução daquela bandinha sub-Strokes não iria além da fase rock cheio de groove meio Queens of the Stone Age com mais talento.

Mas foi:

  • Que título de álbum é este sobre a base onde Neil Armstrong fez “moonwalking”, em 1969?
  • Por que a lista de influências declaradas tem tanto pianista da velhíssima guarda (Leon Russel, Dr John, Nino Rota)?
  • Seria mais natural esperar elogio ao Lô Borges vindo do Beck e não dos Arctic Monkeys?

Indie rock psicodélico sem truques

Pela primeira vez na carreira, a banda seguiu a tática proposta pelo guitarrista Jamie Cook de não lançar singles antes do álbum. “Four Out of Five” (melhor letra, refrão mais solto, Turner menos sóbrio) teria sido boa opção.

O disco não tem refrão para dançar ou assobiar. Há pouquíssimas guitarras. As letras precisam de dedicação para cada referência ser pinçada. Encheriam um (bom) livro.

“Eu sempre tive que buscar alguns artifícios para escrever minhas músicas. Mas desta vez, eu não usei truques”, explicou o guitarrista e vocalista Alex Turner à revista “Mojo”.

I bet you look good on the jazz club floor

Saíram da cabeça dele versos como os do começo de “Star Treatment”:

“Eu só queria ser um dos Strokes / Agora veja o caos que vocês me fizeram fazer”

A faixa de abertura é dominada por assuntos como o livro “1984”, de George Orwell; a fama; e o filme “Blade Runner”.

Mas outras obsessões do vocalista se repetem no disco. Ele fala muito de tecnologia e zomba de si mesmo relatando paranoias que ele já disse serem reais.

“Eu sou um merda / Eu tinha que parar de perder meu tempo falando besteira sobre artes marciais com estranhos em bares”, canta em “She looks like fun”.

O “ela” do título é a internet. No refrão, Alex lista tudo o que costuma jogar no Google: Cheeseburger, Snowboarding, Bukowski, ficar chapado de maconha e cerveja ao mesmo tempo…

“Desde o êxodo, tudo está ficando gentrificado / Eu botei um restaurante de tacos na cobertura / E ele está com bons reviews / Quatro estrelas de cinco”, canta em “Four Out of Five”.

View image on Twitter
G1

Notícias relacionadas