Arbitragem ajuda, e Corinthians amplia vantagem - WSCOM

menu

Mais Esporte

28/10/2005


Arbitragem ajuda, e Corinthians amplia

Um gol irregular (Nilmar, que fez o passe para Tevez, estava impedido) e uma anulação errônea (Rafael Moura balançou as redes em posição legal, mas um auxiliar entendeu que ele estava adiantado). Em grande fase, o líder Corinthians contou com falhas do juiz baiano Lourival Dias Filho para vencer o Paysandu por 2 a 0, em Belém, e chegar a dez pontos de vantagem sobre o segundo colocado do Campeonato Brasileiro.

“Eu vou à CBF [Confederação Brasileira de Futebol] para falar o quanto os times daqui, do Norte e Nordeste, são prejudicados. O que aconteceu hoje [quinta-feira] foi um absurdo. Trabalhamos demais para vir um cara aqui e colocar tudo isso a perder”, desabafou o treinador Carlos Alberto Torres, do clube paraense, após a derrota.

O triunfo sobre o Paysandu leva o Corinthians a 70 pontos, sendo que o vice-líder Goiás tem 60 (o Internacional aparece na terceira posição, com 59 pontos, mas tem um jogo a menos que os rivais).

“Realmente, conseguimos conquistar uma vantagem importante. Precisamos saber administrar isso, até porque a equipe está desgastada demais. Agora é o momento de sabermos ser eficientes”, lembrou o meia Roger.

E a eficiência pedida por Roger foi demonstrada durante todo o confronto com o Paysandu. No primeiro tempo, o Corinthians se fechou e o rival paraense teve quase 70% de posse de bola. Mesmo assim, o time paulista terminou vencendo por 1 a 0. Depois do intervalo, quando a equipe dirigida por Carlos Alberto Torres dominava, o líder do Brasileiro ampliou sua vantagem.

“Infelizmente, eles mostraram muito mais qualidade que a nossa equipe na finalização. Conseguimos dominar a partida e tocar a bola, mas a defesa deles foi muito bem”, lamentou o meia Gian.

A derrota desta quinta-feira, a segunda consecutiva do Paysandu no Campeonato Brasileiro (havia sido superado pelo Cruzeiro, por 4 a 3, na rodada passada), mantém a equipe paraense na zona de rebaixamento. O time de Carlos Alberto Torres estaciona nos 35 pontos e cai para o 20º posto da tabela de classificação. “Nosso tempo está acabando. Precisamos reagir e isso é cada vez mais urgente”, advertiu o comandante.

O Corinthians volta a campo no próximo domingo, às 16h, quando receberá o Vasco no Pacaembu. O Paysandu entra em campo pela 35ª rodada apenas na segunda-feira, às 20h30, quando encara o Internacional fora de casa.

O jogo

Desde o início do confronto, a proposta do Corinthians ficou evidente demais. Fechado em seu campo, o time paulista foi a Belém disposto a explorar os contra-golpes puxados por Nilmar e Tevez. O problema é que o volante Marabá acompanhou o camisa 7 Roger por todo o campo e reduziu consideravelmente a criatividade da equipe alvinegra.

Prova disso é que, na primeira vez em que acertou um lançamento para seus atacantes, o Corinthians inaugurou o marcador. Marcelo Mattos bateu do campo de defesa e encontrou Tevez na esquerda. O argentino cortou Váldson para o meio, tabelou com Nilmar e tocou na saída de Alexandre Fávaro – o camisa nove estava impedido na hora do passe.

Ainda no primeiro tempo, o Corinthians mostrou superioridade técnica e criou outras oportunidades para marcar. Na melhor delas, aos 39min, Tevez ficou frente a frente com Alexandre Fávaro e chutou de fora da área. A bola passou muito perto da trave esquerda do goleiro.

“Nós recuamos demais depois do gol. Prova disso é que, sempre que saímos, tivemos oportunidades para marcar. Poderíamos ter trabalhado um pouco mais a bola no campo de ataque”, criticou o zagueiro Marinho.

Preocupado com a desvantagem, o técnico Carlos Alberto Torres lançou o Paysandu ao ataque no intervalo. Para isso, trocou o zagueiro Marquinhos e o volante Vânderson pelos meias Rodrigo e Ademílson. “Sinceramente, perder por um ou dois gols de diferença é a mesma coisa. Só nos interessa não perder”, revelou.

As modificações deram novo ânimo ao Paysandu, que pressionou o Corinthians no início do segundo tempo. No entanto, o time paraense não conseguiu concluir com qualidade e esbarrou na ótima atuação do goleiro Fábio Costa.

Quando o Paysandu era melhor, o Corinthians acertou outro contra-golpe e ampliou sua vantagem. Gustavo Nery tocou na esquerda para Tevez, que cruzou rasteiro e encontrou Rosinei. O camisa 8 desviou de primeira e anotou o segundo dos visitantes aos 25min.

Em vantagem, o treinador Antônio Lopes tirou o atacante Tevez e colocou em campo o zagueiro Wescley. Com isso, o Corinthians se fechou demais e se limitou a impedir os avanços do Paysandu nos minutos finais do confronto.

PAYSANDU

Alexandre Fávaro; Luís Henrique, Váldson e Marquinhos (Rodrigo); Jamur, Vânderson (Ademílson) (Ceará), Marabá, Gian e Cléber; Róbson e Rafael Moura

Técnico: Carlos Alberto Torres

CORINTHIANS

Fábio Costa; Eduardo Ratinho (Fabrício), Betão, Marinho e Gustavo Nery; Marcelo Mattos, Wendel, Rosinei e Roger (Hugo); Nilmar e Tevez (Wescley)

Técnico: Antônio Lopes

Local: estádio do Mangueirão, em Belém (PA)

Árbitro: Lourival Dias Filho (BA)

Auxiliares: Belmiro da Silva e Adson Márcio Lopes (ambos da BA)

Cartões amarelos: Marcelo Mattos (C), Marabá (P), Marinho (C), Gustavo Nery (C), Fabrício (C)

Gols: Tevez, aos 4min do primeiro tempo; Rosinei, aos 25min do segundo tempo