Após nomeação de Moro como ministro, advogados de Lula levam caso ao Comitê de Direitos Humanos da ONU - WSCOM

menu

Política

03/11/2018


Após nomeação de Moro como ministro, advogados de Lula levam caso ao Comitê de Direitos Humanos da ONU

Na foto: advogados do ex-Presidente Lula

247 – Preso e arrancado do processo eleitoral de 2018 por decisão do juiz Sergio Moro, o ex-presidente Lula, por meio dos seus advogados, decidiu levar ao Comitê de Direitos Humanos da ONU sua decisão de ingressar no governo de Jair Bolsonaro, beneficiário de suas decisões. Lula alegará que Moro agiu com motivação política e que foi recompensado por favorecer a eleição de Bolsonaro, uma vez que todas as pesquisas indicavam vitória folgada do ex-presidente.

É o que informa a coluna Painel. “A defesa de Lula prepara uma manifestação ao Comitê de Direitos Humanos da ONU sobre o ingresso de Moro na gestão de Jair Bolsonaro. Os advogados vão lembrar que, na peça inicial apresentada ao organismo internacional em 2016, sustentaram que Moro poderia projetar uma carreira na seara da política”, diz a nota.

“Num dos tópicos da petição de 2016, a defesa de Lula disse que o juiz era apontado como possível candidato a presidente e que respondia de forma dúbia sobre o assunto. Na verdade, Moro sempre negou intenção de ingressar na política.”