Após 70 dias, Robinho marca e Santos bate Inter - WSCOM

menu

Mais Esporte

04/08/2005


Após 70 dias, Robinho marca

Depois de 70 dias de jejum com a camisa do Santos, uma longa novela internacional, desdém da torcida e o tão sonhado contrato assinado com o Real Madrid, o atacante Robinho voltou a garantir uma vitória para a equipe alvinegra. Na noite desta quarta-feira, foi ele o responsável pelo gol da vitória por 1 a 0 sobre o Internacional, em Porto Alegre, pela 17ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Com este triunfo, o Santos confirma nova ascensão no certame (antes de vencer o Corinthians por 4 a 2, o time havia perdido três seguidas) e assume a quarta colocação, com 30 pontos, na zona de classificação para Libertadores. Enquanto isso, o Inter, que começou a rodada em terceiro, desperdiçou outra chance de encostar nos líderes e caiu para o sexto lugar, com 29 pontos.

A última vez que Robinho havia marcado com a camisa 7 do Santos foi no dia 25 de maio, quando o alvinegro venceu a Universidad de Chile por 3 a 0 (ele marcou dois), pela Copa Libertadores da América. O jejum era maior ainda pelo Brasileirão, competição na qual ele não balançava as redes desde o dia 7 de maio, na vitória sobre o Atlético-PR.

O gol do atacante esta noite, inclusive, foi um dos poucos lampejos de bom futebol que o torcedor presente ao estádio Beira-Rio viu. Do resto, foi apenas um jogo morno, sem muitas oportunidades de gol.

As más atuações do Internacional dentro de casa, aliás, têm se tornado rotina nas últimas rodadas do Nacional. A equipe comandada pelo técnico Muricy Ramalho não vence diante da sua torcida há três partidas (derrotas para Goiás, Paraná e Santos).

Somando os jogos que fez como visitante nesse período, a equipe gaúcha tem apenas uma vitória em cinco partidas. Esse último encontro com o “sucesso” aconteceu em Belém, na vitória sobre o Paysandu por 2 a 1, com dois gols de Fernandão.

Na próxima rodada do Campeonato Brasileiro, Internacional e Santos têm desafios fora de casa no domingo, dia 7. A equipe gaúcha enfrenta o Brasiliense, às 18h10, no estádio da Boca do Jacaré, no Distrito Federal, enquanto o time paulista duela com o Paraná, às 16h, em Curitiba.

O jogo

O primeiro tempo da partida entre Internacional e Santos deixou a desejar para um confronto de duas equipes que brigam pelas primeiras posições do Campeonato Brasileiro. Nem mesmo a presença de importantes jogadores, como Robinho, Ricardinho, Giovanni, Fernandão, Rafael Sobis e Tinga deram brilho aos 45 minutos iniciais do duelo.

Em termos ofensivos, pouco foi produzido por ambas as equipes na etapa inicial. Enquanto o time da casa tentou surpreender com as bolas alçadas na área, o visitante apostou nas jogadas do meia Giovanni, que, bem marcado, não conseguiu servir o atacante Robinho.

Até os 25min, o Internacional conseguiu levantar os torcedores na arquibancada apenas duas vezes. E em jogadas idênticas. Aos 4min, Jorge Wagner cobrou falta para a área e a bola passou pelos atacantes na cara do gol até sair pela linha de fundo, o mesmo que aconteceu aos 22min.

A única jogada de “perigo” do Santos, por coincidência, também foi parecida. Aos 18min, Ricardinho rolou falta para Paulo César, que chutou para a área. A bola passou na frente de Robinho e o atacante não conseguiu cabecear.

O melhor lance da etapa inicial ocorreu aos 43min, quando Rafael Sobis cabeceou cruzamento de Alex e Saulo fez ótima defesa. “Temos que ter mais poder de conclusão que o gol vai sair. Só precisamos nos adiantar um pouco mais”, analisou Sobis no intervalo.

No retorno para o segundo tempo, Muricy Ramalho e Gallo não fizeram alterações. O Inter, por sua vez, insistiu logo no começo nas bolas alçadas. Só que, diferentemente da etapa anterior, encontrou um Santos mais ofensivo.

Postura esta que logo rendeu um gol ao time da Vila Belmiro. Aos 6min, Giovanni aproveitou bobeira da defesa colorada e tocou para Robinho. Com categoria, o atacante encobriu o goleiro Clemer da entrada da área pela direita, marcando um golaço.

Em desvantagem no placar, o Internacional passou a arriscar um pouco mais. E o gol de empate quase saiu aos 17min, quando Jorge Wagner acertou a bola na trave esquerda de Saulo após cobrança de falta próxima à meia-lua.

O ímpeto ofensivo do time gaúcho, porém, parou por aí. Apesar da pressão que fez sobre o Santos, a defesa paulista conseguiu se segurar e evitar o gol de empate do adversário. Fato que fez a torcida do Inter gritar: “Muricy, pede para sair”.

INTERNACIONAL

Clemer; Índio, Wilson e Edinho; Elder Granja, Edmílson (Ricardinho), Tinga, Jorge Wagner e Alex (Michel); Fernandão e Rafael Sobis (Gustavo)

Técnico: Muricy Ramalho

SANTOS

Saulo; Paulo César (Basílio), Rogério (Flávio), Ávalos e Wendell; Fabinho, Bóvio, Ricardinho e Élton (Halisson); Giovanni e Robinho

Técnico: Gallo

Local: estádio Beira-Rio, em Porto Alegre (RS)

Árbitro: Heber Roberto Lopes (Fifa-PR)

Assistentes: Rogério Carlos Rolim (PR) e Gilson Bento Coutinho (PR)

Cartões amarelos: Élton (S), Ricardinho (S), Élder Granja (I), Halisson (S) e Rogério (S)

Gol: Robinho, aos 6min do segundo tempo

Notícias relacionadas