Angola conta com vitória e ajuda portuguesa para passar de fase - WSCOM

menu

Mais Esporte

21/06/2006


Angola conta com vitória e

A estreante Angola está em situação difícil no Grupo D, mas enfrenta com chances matemáticas de classificação a já eliminada seleção do Irã na próxima quarta-feira, em Leipzig.

Para conseguir a vaga, os angolanos precisam derrotar o time do Oriente Médio e ainda torcer por uma vitória de Portugal sobre o México no duelo que acontece no mesmo horário, em Gelsenkirchen.

Com um ponto ganho, os angolanos estão otimistas quanto à classificação após o empate sem gols contra o México no último dia 16. Na estréia, a equipe havia sido derrotada por Portugal por 1 a 0.

Ironicamente, o time comandado pelo técnico Luis Gonçalves de Oliveira vai depender dos algozes da primeira partida para se classificar.

Há também um importante valor simbólico na situação: os portugueses foram os colonizadores do país africano, que conquistou a independência somente em 1975 após anos de conflitos contra os lusitanos.

Gonçalves não poderá contar com o volante Macanga, expulso contra os mexicanos. Em seu lugar, deve escalar o atacante Love, que formará dupla com Akwa e deixará o conjunto mais ofensivo.

O Irã, por seu lado, enfrenta além dos adversários a bronca da imprensa contra o técnico Branko Ivankovic.

Os veículos de comunicação do país não aceitaram as derrotas para México (3 a 1) e Portugal (2 a 0), e pedem a cabeça do treinador croata após a desclassificação precoce da Copa.

A equipe vai atuar desfalcada de seu capitão, o zagueiro Golmohammadi, que contundiu o ombro ao final do duelo contra os portugueses. Nekounam, com dois cartões amarelos, também não poderá entrar em campo.

A novidade deve ser a escalação do meia Zandi. Jogador do alemão Kaiserslautern, ele ficou de fora das duas primeiras partidas devido a uma gripe e terá a responsabilidade de dar criatividade ao meio de campo, setor que se mostrou problemático nos dois primeiros confrontos.

“É uma questão de orgulho para nós. Faremos todo o possível para sair do torneio pela porta da frente”, disse Zandi.

A euforia tomou conta da delegação de Angola após o empate contra o México.

“Foi como uma vitória, pois jogamos reduzidos a dez”, destacou o atacante Fabrice Akwa, em referência à expulsão de Macanga aos 34min do primeiro tempo.

O jogador, por sinal, desde o início da Copa pede um companheiro de ataque. Até então, Gonçalves optou por escalar uma formação mais defensiva, o que deixava o capitão do time isolado no campo adversário.

Com Love, ele terá um jogador mais próximo e deve criar mais dificuldades.

“Temos que acreditar em nós mesmos, mas também precisamos começar a marcar gols”, analisou o zagueiro Marco Abreu.

“Todos os jogadores estão muito motivados depois do primeiro ponto contra o México, e ficariam muito felizes em continuar na Alemanha”, concluiu.

Irã

Mirzapour; Kaabi, Rezaei, Bakhtiarizadeh e Nosrati; Mahdavikia, Karimi, Zandi e Madanchi; Teymourian e Hashemian.

Técnico: Branko Ivankovic

Angola

Joao Ricardo; Locô, Jamba, Kali e Delgado; Zé Kalanga, Figueiredo, Mateus e Mendonça; Akwa e Love.

Técnico: Luis Gonçalves de Oliveira

Local: Zentralstadion, em Leipzig

Capacidade: 38.898

Árbitro: Mark Shield (AUS)

Assistentes: N. Gibson e W. Ben (AUS)

Horário: 11h

*com agências internacionais