Amadeu rechaça renúncia após descoberta de esquema: “Provarei minha inocência” - WSCOM

menu

Paraíba

14/05/2018


Amadeu rechaça renúncia após descoberta de esquema: “Provarei minha inocência”

Foto: autor desconhecido.

O presidente afastado da Federação Paraibana de Futebol (FPF), Amadeu Rodrigues, se declarou inocente em meio a investigação de manipulação de resultados no futebol paraibano, descoberta na Operação Cartola da Polícia Civil da Paraíba.

Em pronunciamento na tarde desta segunda-feira (14), Amadeu ressaltou as melhorias na Federação durante a sua gestão e afirmou que provará sua inocência.

“Tornarei cada vez mais clara minha inocência, pois devo ser forte e lutar para que personagens obscuros não consigam tornar o poder. Continuarei a trabalhar com a minha assessoria jurídica para provar minha inocência porque sei que fizemos muito e podemos fazer muito mais”, disse.

Rodrigues ainda afirmou que não tem ingerência sobre o  programa Gol de Placa, que é restrito aos clubes, Secretaria de Esportes e Energisa. Ele falou também sobre a prestação de contas 2015/2017, já publicada, e que disse que toda a situação se trata de briga política, relembrando o caso da santa e invasão na FPF, onde o vice-presidente Nosman Barreto tentou chegar ao poder e, em meu a confusão, uma imagem de santa foi chamada de ‘neguinha macumbeira’.

Amadeu Rodrigues foi afastado da FPF nesta segunda-feira e a CBF colocou o auditor do Superior Tribunal de Justiça Desportiva, Dr. Flávio Boson Gambogi para conduzir as atividades da Federação. Nesta tarde, os advogados do presidente afirmaram que nenhuma notificação quanto a intervenção chegou na FPF até o momento.

Confira a nota da CBF:

Com base no que consta nos processos éticos, na última sexta-feira, a Comissão de Ética do Futebol Brasileiro determinou o afastamento temporário do presidente da Federação Paraibana de Futebol, Amadeu Rodrigues, e recomendou à CBF a nomeação de um interventor independente. Nesta segunda-feira, a CBF confirmará o auditor do Superior Tribunal de Justiça Desportiva, Dr. Flávio Boson Gambogi, para conduzir as atividades da Federação Paraibana até a conclusão das investigações. Durante este período, ele estará licenciado de suas funções no STJD. Cabe ressaltar ainda que, tão logo tomou conhecimento das denúncias, a Comissão de Arbitragem da CBF suspendeu de forma preventiva todos os árbitros e assistentes ligados ao quadro da entidade paraibana.