Alto Sertão terá unidade de beneficiamento de mel - WSCOM

menu

Economia & Negócios

06/04/2011


Alto Sertão terá beneficiamento de mel

incremento

Foto: autor desconhecido.

Mais uma unidade de beneficiamento de mel será construída na Paraíba. Desta vez a sede implantada atenderá cerca de 80 apicultores do município Poço José de Moura e das localidades vizinhas, que ficam no Alto Sertão do Estado. Na unidade serão realizadas a extração e a preparação básica do mel para comercialização dos produtos que poderão ser vendidos em todo o território nacional. A previsão é que as obras estejam concluídas até o início de 2012.

Como a construção da unidade deve atender às exigências de higiene, fabricação e qualidade feitas pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), os apicultores visitaram no início desta semana a Unidade de Beneficiamento de Mel, no Sítio Papagaio, em Cacimba de Areia, para observar a estrutura física. Localizada no Sertão paraibano a usina servirá de referência para a construção da nova Casa do Mel em Poço.

Seguindo as especificações do Ministério e exemplo de Cacimba a nova unidade poderá já começar o funcionamento com o registro regularmente legalizado de unidade de processamento cedido pelo Mapa.

“A construção garantirá aos apicultores a posse do registro de Estabelecimento Relacionado (ER), que é um selo concedido pelo órgão e é o que de fato condiciona a venda do produto em todo o Brasil”, explica Fabrício Vitorino, gestor do Projeto APIS do Sebrae em Sousa.

O mel é o único produto comercializado pelos cultivadores em Poço José de Moura com escoamento hoje apenas na região. Após a construção da unidade de extração e beneficiamento, estando regularmente legalizada, produto poderá ser comercializado também em todo território nacional, o que irá incrementar a atividade e o conseqüente aumento da renda do produtor.

Mel paraibano

Com crescimento exponencial de 273,2% no período de 2004-2009, o mercado do mel na Paraíba já desponta como uma oportunidade de negócio para pequenas cooperativas de diversas regiões do Estado como Mata Paraibana, Brejo, Curimataú, Seridó e Sertão. Dados do IBGE revelam que a produção saltou de 73 mil quilos, em 2004, para 272,5 mil quilos, em 2009, último dado da pesquisa. Somente o município de Catolé do Rocha concentra metade da produção do Estado (136,7 mil). Em 2009, o valor comercializado atingiu R$ 1,142 milhão.

Notícias relacionadas