Agências do INSS da Paraíba abrem neste sábado para repor dias parados - WSCOM

menu

Paraíba

20/08/2005


Agências do INSS da Paraíba

As agências do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) da Paraíba, funcionarão neste sábado das 7h às 12h, para atender mais segurados e reduzir o trabalho acumulado durante a greve de 76 dias dos servidores.

Será dada prioridade aos casos de segurados que estão afastados do trabalho por motivo de doença ou acidente, de morte do trabalhador cuja família ainda não conseguiu solicitar o pagamento da pensão, de pedidos de salário-maternidade e de amparo assistencial ao portador de deficiência, além das situações em que o pagamento do benefício estiver bloqueado.

O plantão será adotado também nos dois próximos sábados em todo país. Segundo comunicado da assessoria de imprensa da Superintendência do INSS em São Paulo, estarão abertas 84 das 165 agências no Estado. Na capital paulista, funcionarão 26 das 27 unidades (apenas a do Poupatempo Amador Bueno, na zona sul, não abrirá). Na Grande São Paulo, 10 das 13 agências vão abrir (só Osasco, Barueri e Cotia estarão fechadas). No Interior do Estado estarão abertas 48 das 125 unidades.

O INSS orienta as pessoas que não estão nessas situações a não procurarem as agências hoje e nas duas próximas semanas, para que seja possível o atendimento dos casos mais urgentes.

Grande movimento

O movimento nas agências do INSS continuou grande ontem, com filas e lentidão no atendimento, principalmente nas da capital paulista -as mais procuradas pelos segurados.

Cerca de 30 mil beneficiários procuraram ontem as 27 agências localizadas na capital paulista. Na média, o movimento aumentou cerca de 30%, mesmo percentual da quinta-feira, primeiro dia em que as agências atenderam efetivamente após a greve.

Prazo maior

As pessoas que não puderam requerer benefícios por causa da greve terão 90 dias (até 14 de novembro) para pedir aposentadorias, pensões, salário-maternidade e auxílio-doença.

O benefício poderá ser concedido com data retroativa ao período da greve, desde que o segurado comprove ter alcançado as condições para seu requerimento enquanto as agências estiveram fechadas.

Nos casos em que os benefícios já vêm sendo pagos e dependem da apresentação de documentos para sua continuidade, a prorrogação do prazo foi de 60 dias (até 17 de outubro).

Os servidores do INSS do Rio de Janeiro realizavam assembléia ontem à noite para decidir se aceitam a proposta salarial do governo para retornar ao trabalho. Até o fechamento desta edição a assembléia não tinha terminado.

Mesmo que os servidores decidam voltar ao trabalho, o atendimento não será retomado hoje, mas na segunda ou terça-feira.

Moacir Lopes, diretor da Fenasps (Federação Nacional dos Sindicatos de Trabalhadores em Saúde, Trabalho, Previdência e Assistência Social), informou ontem à noite que o governo não havia pago os salários de julho

Notícias relacionadas