AETC relata aumento no custo operacional dos ônibus; João Pessoa possui a menor - WSCOM

menu

Economia & Negócios

05/06/2006


AETC relata aumento no custo

O presidente da Associação das Empresas de Transportes Coletivos de João Pessoa (AETC-JP), Mário Tourinho, constatou que a capital paraibana é a que possui a menor tarifa do Nordeste nas passagens de ônibus urbanos. Ele relatou, entretanto, que os custos operacionais para manter os veículos funcionando tem aumentado nos últimos meses, o que levou ao reajuste em Natal/RN.

Desde o dia 27 de maio que a passagem dos ônibus urbanos de Natal foi reajustada de R$ 1,45 para R$ 1,60. O último reajuste no preço das passagens de João Pessoa aconteceu em outubro de 2005, quando a tarifa passou de R$ 1,30 para R$ 1,45, atual valor vigente. Esse reajuste foi adiado por três meses, já que era para entrar em vigor desde julho, época do dissídio coletivo dos operadores de transporte da capital paraibana.

“A constatação do menor valor é positiva, porque mostra que os passageiros da Capital pessoense têm mais facilidade no acesso ao transporte, mas preocupante, tendo em vista que o atual preço das passagens não cobre os aumentos do custo operacional das empresas”, disse.

Ele discriminou os itens que sofreram reajustes recentemente: diesel, veículos, peças e pneus tornam, segundo ele, a tarifa defasada. “E agora em julho, teremos novamente o dissídio dos motoristas, cujo impacto no custo operacional das empresas é bastante significativo, já que as despesas com pessoal é que mais pesa para as empresas”, afirma Tourinho.

Comparando os valores praticados nas demais capitais do Nordeste, a diferença média do preço das passagens de João Pessoa é, de R$ 0,10. Em São Luiz a passagem custa R$ 1,70. Em Salvador, R$ 1,65. Em Recife (para o primeiro anel), Maceió e Fortaleza é R$ 1,60, Aracaju R$ 1,55 e Teresina R$ 1,50. A tarifa vigente na Capital paraibana chega a ser R$ 0,55 mais barata que a cobrada em São Paulo e Brasília, onde pegar um ônibus custa R$ 2,00 ao passageiro. Campo Grande e Rio de Janeiro, com R$ 1,90 e Belo Horizonte, com R$ 1,85, são outras cidades do país que praticam as passagens mais caras do país.

Notícias relacionadas