Acusados de vazar informações sobre FHC serão ouvidos por parlamentares - WSCOM

menu

Política

19/05/2008


Acusados de vazar informações sobre

A Comissão Parlamentar Mista de Inquérito dos cartões corporativos deverá ouvir nesta terça-feira (20) dois acusados de envolvimento no vazamento de informações sigilosas da Casa Civil sobre gastos do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso. Um dos depoentes é o ex-secretário de Controle Interno da Casa Civil José Aparecido Nunes, indiciado pela Polícia Federal por quebra de sigilo funcional, como responsável pelo vazamento. O outro é André Eduardo da Silva Fernandes, consultor legislativo do Senado lotado no gabinete do senador Alvaro Dias (PSDB-PR). Fernandes é acusado de ter recebido e repassado as informações sigilosas.

A primeira parte da reunião, cujo início está marcado para as 9h, será secreta, destinada à leitura dos depoimentos que os dois acusados prestaram à Polícia Federal. Os depoimentos foram entregues pela polícia à CPI Mista no fim da tarde da última sexta-feira (16) e ficarão lacrados no cofre da comissão até o início da reunião. Durante a parte secreta da reunião, os parlamentares serão alertados sobre que dados constantes do depoimento são sigilosos. José Aparecido e André Fernandes devem começar a ser ouvidos a partir das 10h.

Na última sexta-feira (16), a presidente da CPI Mista, senadora Marisa Serrano (PSDB-MS), disse em entrevista coletiva que José Aparecido Nunes poderá sair preso da reunião se ficar comprovado que mentiu durante o depoimento que prestar aos parlamentares. Tentando evitar a possibilidade de prisão, Aparecido entrou com pedido de habeas corpus preventivo ao Supremo Tribunal Federal (STF), mas o pedido foi negado na última quinta-feira (15).

– Se tivermos condições de saber e provar que José Aparecido realmente está mentindo, ele pode sair preso. Não sei o que os advogados dele estão aconselhando, mas ele só tem duas alternativas, ou fica quieto ou conta tudo o que aconteceu – disse Marisa Serrano na entrevista.

A presidente da CPI Mista afirmou ainda que só após ouvir os depoimentos dos envolvidos será possível aos parlamentares decidir se há necessidade ou não de realizar uma acareação entre ambos. A senadora destacou que acareações só são necessárias quando há conflito entre as informações prestadas pelos depoentes. A reunião da CPI Mista ocorrerá na sala 2 da Ala Senador Nilo Coelho, no Anexo 2 do Senado Federal.

Notícias relacionadas