Após nove meses foragido, acusado de sequestrar a menina Nicole é preso no Estado de Goiás - WSCOM

menu

Policial

22/12/2018


Após nove meses foragido, acusado de sequestrar a menina Nicole é preso no Estado de Goiás

Por Redação / Portal WSCOM

A Polícia Militar do Estado do Goiás efetuou a prisão de Maécio Damacena Silva, de 27 anos, nesta sexta-feira (21), na cidade de Luziana. Ele é acusado de sequestrar a menina Nicole, de apenas sete até anos, em abril deste ano, em João Pessoa. A garota foi encontrada na cidade de Penaforte, no Ceará.

A ação de captura foi comunicada ao titular da Delegacia Especializada Contra o Crime Organizado (Decor), Allan Terruel, designado para comandar as investigações em torno do caso de sequestro da menina.

O translado do acusado Maécio Damacena Silva para João Pessoa será acompanhado por agentes da Polícia Civil, integrantes da Decor.

Entenda o caso

A menina Nicole desapareceu no bairro de Mangabeira, no dia 9 de março, com um rapaz que estava recebendo ajuda de Ana Maria Paiva, mãe da criança. Esse rapaz seria o suspeito, Maécio Damacena Silva, de 27 anos. Ele saiu com a menina para comprar comida e não voltou mais. No dia 27 de março, Nicole foi encontrada na cidade de Penaforte, no Ceará, no sítio de um parente de Maécio.

No dia 21 de março, foi decretada a sua prisão preventiva de Maécio Damacena Silva, que já tinha sido visto nos estados de Pernambuco e Ceará. “Ele não é o pai da criança, ele levou a criança em total desacordo com o regulamento legal. O que aconteceu depois do sequestro, a gente vai esclarecer quando ele for localizado”, informou à época o então delegado do Grupo de Operações Especiais da Polícia Civil (GOE), Allan Terruel.

Maécio já cumpriu pena por roubo e furto no Ceará, de acordo com a Polícia Civil. Além disso, as autoridades também investigam se o homem já cumpriu pena pela Lei Maria da Penha, no município de Salgueiro, em Pernambuco.

Segundo informações da polícia, quando Nicole foi encontrada ela estava muito machucada. Na época, o delegado Allan Terruel afirmou que a menina demonstrou dificuldades para se locomover e contou que o suspeito batia nela. “Ela estava muito chateada, muito machucada, com os pés lesionados, rosto com hematoma e disse que apanhou. Uma cena muito triste, se não fosse a polícia localizar essa menina, ela ainda estaria sofrendo”, disse.