15ª Festa da Mandioca começa nesta sexta-feira em Princesa Isabel - WSCOM

menu

Entretenimento

14/09/2017


15ª Festa da Mandioca começa nesta sexta

EM PRINCESA ISABEL

Foto: autor desconhecido.

O Sertão paraibano realiza um evento tradicional na zona rural da cidade de Princesa Isabel, que celebra a produção contínua da mandiocultura. A 15ª edição da Festa da Mandioca será realizada desta sexta-feira (15) ao domingo (17), no sítio Lagoa de São João, com feira de derivados da macaxeira e da mandioca, e apresentações culturais. A cidade e a região em torno dela possuem atualmente 13 casas de farinha ou fábricas de derivados da mandioca. A atividade gera cerca de R$ 24 mil por mês aos 700 familiares agricultores envolvidos.

Para o gestor do projeto de Desenvolvimento Territorial (DET) Serra de Teixeira do Sebrae em Patos, Aldo Nunes, o momento da festa é de alegria pela colheita, que não faltou aos agricultores, mesmo com os anos de seca. “Os produtos expostos na feira que o evento realiza, mostram a qualidade do trabalho realizado. O Sebrae apoia essa atividade e outras da Serra do Teixeira para que os produtores se mantenham em suas propriedades, mas com uma boa produção de mandioca ou de seus derivados”, falou.

O evento é também um momento da comunidade rural expor sues trios de forró pé de serra, sua beleza natural, com um concurso de beleza entre jovens da comunidade, além de se negociar os produtos artesanais feitos na cidade e no sítio. A Festa da Mandioca é uma realização da Associação Comunitária dos Pequenos Produtores de Lagoa de São João, Sebrae Paraíba, Emater Paraíba, Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL), Instituto Federal da Paraíba (IFPB) e prefeitura municipal.

Economia – Como local de produção mais intensa do produto farinha, a cidade de Princesa Isabel mentem suas 13 fábricas na zona rural, dividida entre quatro comunidades. Aldeci Nunes, presidente da Associação, conversou sobre essa produção, que começa ocupando 195 hectares plantados, emprega boa parte da população e envolve 700 famílias agrícolas.

“Nós produzimos de 80 a 130 sacas de farinha por semana, uma média de 480 sacas de farinha por mês. Alguns produtores ainda investem em derivados como sequilhos, tapiocas, bejus, bolos de goma, e até no soverte de macaxeira. Nossa principal meta agora é conseguir vender a farinha de quilo, sem ser ensacada. Aí, vamos poder aumentar nossas vendas para supermercados”, disse Aldeci, que também planta, além de manter uma das casas de farinha.

Os agricultores vendem para outras cidades e para Pernambuco. Eles estão trabalhando para manter a qualidade e o sabor bom da farinha. Segundo o agricultor, a mandioca é a predileta entre os produtores, quase eles não plantam macaxeira. “A seca nos atingiu mais em 2013, quando chegamos a 10% de área plantada. Corremos atrás do Sebrae e conseguimos continuar e voltar à produção, hoje em 100% da área plantada e com muita gente interessada em continuar nossa cultura e dar oportunidades aos moradores”, concluiu.

Programação
Sexta-feira (15)
17h – missa Capela São João Batista;
18h – abertura oficial do evento;
19h – feira de produtos derivados da macaxeira e mandioca;
19h30 – apresentações culturais;
21h – shows musicais.

Sábado (16)
10h – feira de produtos derivados da macaxeira e mandioca;
19h30 – apresentações culturais;
20h – concurso Princesa, Rainha e Rei da Festa da Mandioca;
21h – shows musicais.

Domingo (17)
8h – Cavalgada e passeio ciclístico, saída: Praça Dr. José Nominando Diniz;
10h – feira de produtos derivados da macaxeira e mandioca;
14h – show musical;
17h – momento dos parceiros e realizadores do evento;
18h – show musical;
           22h – encerramento. 

Notícias relacionadas