menu

Futebol

30/06/2019


NÃO MERECEU: Cavani lamenta eliminação após Uruguai jogar melhor e perder para o Peru nos pênaltis

Cavani chegou a marcar na partida, mas teve o gol anulado (Divulgação AUF)

O uruguaio Edinson Cavani lamentou que a partida decisiva contra o Peru, no sábado, tenha sido decidida nos pênaltis. Autor de um dos três gols anulados do Uruguai no confronto em Salvador, o atacante afirmou que a sua equipe foi a única que buscou a vitória e não merecia a eliminação nas quartas de final da Copa América.

“Não queríamos chegar a esta situação (penalidades) porque isso poderia acontecer e a verdade é que queríamos vencer nos 90 minutos. Tentamos mais do que o Peru, estávamos melhores na partida”, revelou Cavani, após a eliminação de sua seleção no torneio continental, que foi decretada com o empate por 0 a 0 contra a seleção do técnico argentino Ricardo Gareca e a derrota nos pênaltis por 5 a 4.

O jogador do Paris Saint-Germain chegou a balançar as redes, mas o tento, assim como os outros dois marcados pelo time celeste, foi invalidado. “Espero que os gols anulados, tanto os de meus companheiros como o meu, tenham sido mesmo em impedimento porque senão seria lamentável para o futebol e muito triste para nós. Espero que o VAR tenha razão”, comentou Cavani.

SUÁREZ SEM SORTE

Mas é Luis Suárez, outra estrela da equipe, que terá, definitivamente, uma tarde para esquecer. Além de um gol anulado, aos 27 minutos do segundo tempo, o jogador do Barcelona perdeu o pênalti que acabou por eliminar sua equipe da Copa América. Na saída dos vestiários da Arena Fonte Nova, ele praticamente não quis dar declarações, limitando-se a se dirigir aos torcedores de sua seleção.

“Tenho que ressaltar o apoio após o momento ruim que tive”, disse um cabisbaixo Suárez na zona mista. “Foi muito triste para mim, mas o apoio da torcida e dos meus companheiros de equipe será fundamental para seguir em frente”.

Neste domingo, o fracasso de Suárez em Salvador foi destaque da imprensa uruguaia, que lembrou a má sorte do camisa 9 em terras brasileiras. “Brasil, nem de férias, Luis!”, ironizou o jornal “El País”, lembrando as jornadas ruins que o jogador já teve por aqui. O atacante protagonizou a mordida contra o zagueiro italiano Chiellini na Copa do Mundo de 2014, o que resultou em longa punição imposta pela Fifa ao uruguaio.


Agência Futebol Interior