menu

Esporte

21/08/2019


Jogadores se recusam a entrar em campo e Figueirense sofre WO pela Série B do Brasileirão

Delegação chegou a ir para a Arena Pantanal, mas, após uma conversa no vestiário, os atletas optaram por não jogar.

Foto: @DR

O que já era esperado há algumas semanas foi concretizado na noite desta terça-feira (20). Com salários atrasados, os jogadores do Figueirense se recusaram a entrar em campo para o duelo diante do Cuiabá, em Mato Grosso, pela 17ª rodada do Campeonato Brasileiro, e fizeram com que o clube tomasse o WO.

 

A delegação do Figueira até chegou a ir para a Arena Pantanal, mesmo com atraso, mas, após uma conversa no vestiário, os atletas optaram por não jogar. Cumprindo o protocolo, o árbitro Pathrice Maia esperou por 30 minutos para iniciar o duelo marcado para as 21h30 (de Brasília) antes de decretar o WO.

 

Os jogadores ainda não receberam os direitos de imagem dos últimos dois meses e o salário de julho, mas esperavam pelo pagamento nesta terça-feira para disputar o jogo. Como não houve um contato da diretoria, decidiram por boicotar a partida.

“O pedido dos atletas era para que os salários e os direitos de imagem fossem pagos no final da tarde de hoje. O prazo se esgotou e não houve nem resposta por parte da diretoria. Os jogadores até se comprometeram em jogar caso o presidente firmasse um documento se comprometendo a quitar os atrasados até o dia 28. Caso não quitasse, ele pediria afastamento da diretoria executivo. Essa reivindicação foi rechaçada. Os atletas entendiam que isso seria um motivo para jogar, mas a diretoria não demonstrou nenhum tipo de boa vontade”, disse Felipe Rino, advogado dos atletas.

Além dos atrasos com os vencimentos do time profissional, que não realizou nenhum treinamento para enfrentar o Cuiabá, o clube deve para funcionários e atletas da base. A administração do time é responsabilidade da Elephant, uma empresa privada.

 

Consequências

Com o WO confirmado, o Figueirense será julgado Superior Tribunal de Justiça Desportiva com base no Artigo 203 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva por “deixar de disputar uma partida sem justa causa”. Desse modo, o clube pode ser multado entre R$ 100 e R$ 100 mil, além de ter a derrota por 3 a 0 confirmada. Se a equipe reincidir na ocorrência, poderá ser excluída da Série B.