menu

Política

19/08/2019


João não aprova intervenção do diretório nacional e diz que questões partidárias não interferirão: “Governo é governo, partido é partido”, diz

Azevêdo, que considerou a decisão 'antecipada', lembrou que o rompimento partiu dentro do partido, não dentro do governo.

O governador João Azevêdo (PSB), durante solenidade no Palácio da Redenção, nesta segunda-feira (19), falou a respeito da crise que envolve o Partido Socialista Brasileiro (PSB) em torno da renúncia coletiva e dissolução do diretório estadual que querem a acessão do ex-governador, Ricardo Coutinho, como novo presidente da legenda no lugar de Edvaldo Rosas no Estado. 

 

Azevêdo, que considerou a decisão ‘antecipada’, lembrou que o rompimento partiu dentro do partido, não no governo, onde é preciso saber diferenciar essa disputa partidária.

 

“Primeiro é importante entender duas coisas; que governo é governo, partido é partido. O que está havendo nesse momento é uma disputa pela presidência do partido. No meu entender, foi uma disputa antecipada, sem a mínima necessidade, considerando que a atual presidência tinha mandato até outubro do próximo ano. É uma disputa do partido. O governo e nem o governador participam dessa discussão”, disse o governador.

 

Disputas de listas, nome de João e possível boicote

Na última sexta-feira (16) houve uma disputa de listas dentro do PSB. O chefe do Executivo estadual lembrou que não participou do fato e que não fez ligação, enquanto governador, “para qualquer cidadão que fosse que compõe o diretório do PSB para pedir posicionamento de qualquer questão”.

 

Questionado se essa disputa partidária poderia atingir o governo, em uma possível divisão e boicote da ala que defende o nome de Ricardo, João Azevêdo afirmou que “a partir do momento que haja a identificação disso, supondo que ocorra, o que eu não acredito, evidentemente que o governador tomará as providências. Ninguém dentro do governo estará boicotando o governo e o governo sendo omisso. Eu não acredito que ocorra isso, mas se ocorrer, tomarei as devidas providências imediatamente”, afirmou.

 

Convocação da Executiva Nacional

O presidente da Executiva nacional do PSB, Carlos Siqueira, convocou Ricardo Coutinho e João Azevêdo para uma reunião nesta terça-feira (20), em Brasilia, para discutir sobre o racha dentro do partido no Estado. O governador afirmou que não participará do encontro devido ao conflito de agendas em Brasília, além do Fórum de Governadores que deve ocorrer na próxima quinta-feira (22), em Teresina.

 

“Eu não participarei dessa agenda nesse momento, até porque tenho a minha agenda, que é muito grande. Existe uma outra agenda, em Brasília, com o presidente do Senado, Davi Alcolumbre. No mesmo dia existe uma audiência com o presidente do Supremo, Dias Toffoli, além de uma outra agenda com o senador Rogério, de Sergipe, que está cuidando da pauta federativa. Talvez eu nem participe dessas agendas, porque na quarta eu tenho que estar em Teresina participando de um grande Fórum para discutir a infraestrutura dentro daquilo o que criamos, que é o Consórcio Nordeste”, concluiu.

 

ASSISTA:

 

 

Da Redação
Portal WSCOM