Hermansson tem atuação cerebral e vence Jacaré na luta principal do UFC Fort Lauderdale

Jack Hermansson tentou finalizar Ronaldo Jacaré no primeiro round — Foto: Jason Silva
Jack Hermansson tentou finalizar Ronaldo Jacaré no primeiro round — Foto: Jason Silva

Foi a quarta vez que Ronaldo Jacaré ficou a uma luta de disputar o cinturão do peso-médio (até 84kg) e o final o mesmo de quando enfrentou Yoel Romero, Robert Whittaker e Kelvin Gastelum. Desta vez o algoz foi Jack Hermansson. Com uma atuação estratégica e destemida, o sueco venceu por decisão unânime (49-46, 48-47 e 48-47) na luta principal do UFC Fort Lauderdale, na madrugada deste sábado para domingo, na Flórida (EUA). O lutador não mostrou qualquer receio de ir para o chão com o brasileiro e foi superior em três dos cinco rounds para carimbar seu quarto resultado positivo consecutivo.

Aos 39 anos, Jacaré tem alternado vitórias e derrotas nas suas últimas lutas e perdeu pela terceira vez nos seis compromissos mais recentes.

A luta

Depois de um início estudado por parte de Jacaré, o brasileiro encaixou a primeira combinação com jab e direto. Hermansson arriscou um chute baixo, mas permitiu que o rival se aproximasse. Ele circulou para não deixar o adversário clinchar e trabalhou a linha de cintura. Ao encurtar a distância, Jacaré recebeu uma bomba no queixo e balançou. O sueco foi para cima, enlaçou o pescoço e chegou perto de finalizar, mas o brasileiro mostrou tranquilidade para escapar, tirar o oponente das costas e ficar em pé novamente. Hermansson ganhou confiança e pressionou na grade, mas Jacaré se desvencilhou nos últimos segundos.

Segundo round

Hermansson voltou mais agressivo e variava chutes baixos com combinações de boxe. Jacaré respondeu com duas boas sequências de socos, mas o sueco entrou no double leg e colocou o rival com as costas no chão. De dentro da guarda, ele aplicava golpes curtos, enquanto Jacaré tentava escalar, mas não encontrava brechas. O sueco não parava de golpear a cabeça do rival, apesar de não mostrar muita contundência. Sem dar espaço para Jacaré sair da posição, Hermansson administrou o round até o fim.

Terceiro round

No início do terceiro assalto, Hermansson ameaçou outra queda, mas desistiu da pegada após o rival defender bem. Ele acertou bons jabs, mas Jacaré reagiu com jabs e diretos. Uma joelhada voadora tocou no rosto do brasileiro, que absorveu bem. Em desvantagem após dois rounds, Jacaré controlava o centro do octógono e tentava encurralar o oponente. Ele variou ganchos na linha de cintura e cruzados na cabeça e fez Hermansson recuar. Outra bomba de direita tocou o rosto do rival, que balançou. O sueco clinchou para tentar respirar, mas Jacaré saiu da pegada e acertou um direto de direita na cabeça. O brasileiro ainda acertou outra esquerda no rosto antes do gongo soar.

Quarto round

Logo nos segundos iniciais do quarto assalto, Hermansson atirou para um double leg, totalmente fora de tempo, mas combinou bem para direto e uppercut. Ele foi para cima com uma sequência de socos, e Jacaré recuou. Na trocação franca, o brasileiro resistiu bem e também acertou o rival. O sueco trabalhou com chute na linha de cintura e “superman punch”. Àquela altura, Jacaré já aparentava cansaço e tinha dificuldade para se esquivar dos golpes do oponente. Hermansson voltou a tentar a queda e ganhou tempo no clinche.

Quinto round

Hermansson voltou para o quinto round com uma sequência de cruzados. Ele encurtou, clinchou e aplicou a queda, mas Jacaré conseguiu ficar de pé pouco depois. O brasileiro ainda conseguiu uma queda de judô, mas o rival também se levantou rapidamente. Jacaré tentou pressionar, foi atrás de Hermansson, mas já sem muita pujança. O cansaço dos dois era nítido, e o sueco procurava controlar a distância com os jabs, circulando pelo octógono. Com pouco mais de um minuto para o fim, Jacaré foi para cima com socos. Uma direita balançou Hermansson, que respondeu com duas direitas no rosto do brasileiro. Eles foram para a trocação franca, e o sueco, de forma inteligente, conseguiu uma queda nos segundos finais para garantir a vitória.


Combate