menu

Futebol

18/07/2019


Grêmio mostra DNA copeiro, cresce em mata-mata e vira maior semifinalista da Copa do Brasil

Mesmo sem melhor momento, Tricolor chega em sua 14ª semifinal na competição

Renato e grupo do Grêmio comemoram classificação — Foto: Lucas Uebel/Grêmio

Se ainda há alguma desconfiança sobre o desempenho do Grêmio em 2019, a classificação na Copa do Brasil com a vitória por 1 a 0 sobre o Bahia, na noite desta quarta, surge como um daqueles momentos de “criar casca”.

A primeira das decisões do mês de julho faz crescer a confiança e, por consequência, o time. Um jogo sólido, sem ser brilhante, mas também sem sofrer riscos, encaminhou o Tricolor para se tornar o maior semifinalista na história da competição, com 14 presenças nesta fase em 30 edições. O adversário da vez é o Atlhetico-PR.

O Cruzeiro, maior e atual campeão da Copa do Brasil, chegou à 11ª semifinal para enfrentar o Inter. O Flamengo, eliminado pelo Furacão, acumula 13.

O feito gremista mostra o quanto a equipe está acostumada a viver estes momentos, além do valor dado para competições de mata-mata. Mesmo sem repetir o melhor futebol de antes, compete e aparece entre os melhores.

– O Grêmio não atingiu ainda o auge, o que vinha mostrando o melhor futebol do Brasil, mas já melhorou. Estamos mais uma vez em uma semifinal, onde todo mundo almeja chegar. O Grêmio é muito forte na competição. No momento que deixam chegar, o Grêmio cresce muito. Esperamos crescer também nas outras. Nosso objetivo é conquistar mais um título este ano – destaca Renato.

Dentro do seu estilo, o Grêmio manteve certo pragmatismo na Arena Fonte Nova. Dominou o jogo, trocou passes, foi o senhor da posse de bola.

Sem levar, entretanto, muito perigo. Antes do gol de Alisson, só havia assustado em chute de André que Douglas espalmou, após jogada individual de Jean Pyerre.

A atuação sólida é um primeiro passo na recuperação do desempenho. A confiança precisa estar nas alturas para o Tricolor voltar a apresentar um futebol mais vistoso.

“Aquele futebol que encantou o Brasil pode voltar. Esse grupo é vencedor, tem sede de títulos. Vamos brigar. Se vamos conseguir, não sei. Mais uma vez o Grêmio está chegando” (Renato)

O treinador conversou por 40 minutos com o elenco na véspera do jogo justamente para retomar o caminho. A mecânica também requer sequência e ajuste. Por isso, Renato mantém a estrutura e repete a escalação. Com Alisson, decisivo, e André, sempre contestado.

O rendimento de menos brilho e mais transpiração também foi assunto entre os jogadores, que valorizaram a concentração e dedicação para buscar a passagem às semifinais com a vitória.

– O Grêmio foi o Grêmio. Você viu o espírito de todo mundo tentando jogar, brigando, ajudando o companheiro – resumiu o zagueiro Kannemann.

– O Grêmio é desse jeito. Não se pode duvidar de um elenco com a qualidade que o Grêmio tem. A gente confiava desde o começo na nossa classificação, com todo o respeito ao Bahia. Mostramos desde o primeiro minuto que viemos atrás da vitória – completou o goleiro Paulo Victor.

Mesmo longe do seu melhor momento, o Grêmio soube ser competitivo e superar o Bahia fora de casa. Desembarcou em Porto Alegre nas primeiras horas desta quinta-feira e faz um treinamento à tarde, já de olho no Gre-Nal de sábado, no Beira-Rio, às 19h, pela 11ª rodada do Brasileirão.


Por Globoesporte.com