menu

Paraíba

18/07/2019


Governo do Estado cria comissão para apurar possíveis irregularidades e identificação dos responsáveis nos contratos firmados com a Cruz Vermelha

Segundo a publicação, a Comissão será formada por três servidores e tem o prazo de 90 dias para para realização dos trabalhos e apresentação de Relatório conclusivo.

Na imagem, o Hospital de Emergência e Trauma Senador Humberto Lucena, em João Pessoa

Um dia após o Governo do Estado, por meio da Secretária de Estado da Saúde (SES), publicar uma portaria e criar uma Comissão para acompanhar, fiscalizar e avaliar os contratos da nova gestão pactuada das Organizações Sociais (OS’s) responsáveis por gerenciar os hospitais da Paraíba, desta vez, na edição do Diário do Oficial do Estado (DOE) dessa quinta-feira (18), foi instaurado uma outra Comissão para apurar eventuais irregularidades nos contratos firmados com a Cruz Vermelha gaúcha, essa que era responsável por gerir os Hospitais de Trauma.

 

Segundo a publicação, a Comissão será formada por três servidores e tem o prazo de 90 dias para a realização dos trabalhos e apresentação de um relatório conclusivo. “Instaurar Tomada de Contas Especial para apuração dos fatos relativos aos contratos de gestão 061/2012 e 223/2017 firmados pela Secretaria de Saúde e a Organização Social Cruz Vermelha Brasileira filial Rio Grande do Sul”, diz trecho da portaria.

 

A intenção do Governo é apurar eventuais irregularidades e identificação dos responsáveis, quantificação do dano e obtenção do ressarcimento ao erário.

 

Clique aqui e tenha acesso a publicação no Diário Oficial do Estado

 

O contrato entre o Governo do Estado e a Cruz Vermelha foi encerrado no mês junho. Em nova gestão pactuada, o Instituto Acqua, de São Paulo, passou a gerir o hospital.  A atuação da Cruz Vermelha na Paraíba é investigada pelo Ministério Público no âmbito da “Operação Calvário”.

 

Outras comissões

O Governo do Estado também abriu o mesmo procedimento para apurar os contratos com a Organização Social Instituto de Gestão em Saúde – Gerir, que administra o Hospital de Taperoá e a Maternidade Dr. Peregrino Filho e o Complexo Hospitalar Regional, em Patos.

 

LEIA MAIS: João Azevêdo inicia semestre com agenda de inaugurações que somam R$ 52 milhões em investimento