Governo Bolsonaro confirma saída de pacto de migração da ONU

Na imagem, o presidente Jair Bolsonaro

Em telegrama emitido nesta terça-feira (8), o Ministério das Relações Exteriores, comandado por Ernesto Araújo, pediu a diplomatas brasileiros que comuniquem à Organização das Nações Unidas (ONU) que o Brasil saiu do Pacto Global para a Migração, ao qual o país tinha aderido em dezembro.

A pasta solicita às missões do Brasil na ONU e em Genebra a “informar, por nota, respectivamente ao Secretário-Geral das Nações Unidas e ao Diretor-Geral da Organização Iternacional de Migração, ademais de quaisquer outros interlocutores considerados relevantes, que o Brasil se dissocia do Pacto Global para Migração Segura, Ordenada e Regular”. O teor documento foi divulgado pela BBC News, que teve acesso ao material.

De acordo com o documento, o Brasil não deverá “participar de qualquer atividade relacionada ao pacto ou à sua implementação”.

Procurado, o Itamaraty não confirmou a informação até a publicação desta reportagem. Porém, diplomatas afirmaram à BBC News Brasil em condição de anonimato que o telegrama está circulando no sistema do Ministério e chegou aos destinatários.

Nas últimas semanas, Araújo classificou o pacto como um “instrumento inadequado para lidar com o problema (migratório)” e disse que “imigração não deve ser tratada como questão global, mas sim de acordo com a realidade e a soberania de cada país”.

Na quarta-feira passada (2), Bolsonaro teve um encontro com o secretário de Estado dos Estados Unidos, Mike Pompeo, e confirmou a intenção de revogar a adesão do Brasil ao pacto. Os EUA se retiraram da elaboração do texto em 2017 sob o argumento de que que o acordo vai contra a política migratória do presidente americano, Donald Trump. Países como Itália, Chile e Israel se retiraram do acordo. 

Brasil 247