menu

Paraíba

13/08/2019


“Future-se” prejudica a pesquisa, diminui o orçamento e retira a soberania das universidades, diz Estela Bezerra

Segundo a parlamentar, a proposta faz com que o Brasil venha a se tornar alvo de interesses particulares de mercado.

Na imagem, a deputada Estela Bezerra

A deputada estadual Estela Bezerra (PSB), durante entrevista na manhã desta terça-feira (13), na Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB), falou a respeito do “Future-se, o novo programa do Ministério da Educação (MEC) que pode ser implementado nas universidades públicas do Brasil. De acordo com o projeto, o tema tem que ser discutido dentro do parlamento estadual, o que ocorreu na tarde de ontem (12).

 

Segundo a parlamentar, a proposta deve ser rejeitada porque diminuí a soberania e autonomia das instituições de ensino, fazendo com que o Brasil venha a se tornar alvo de interesses particulares em seus eixos de pesquisa.

 

“Em principio, o projeto fala de termos que são muito importantes como inovação, dinamismo aos recursos financeiros das universidades. Mas se atendo um pouco ao que ele propõe, a gente enxerga de imediato que quatro eixos da nossa Constituição Federal, que garantem a educação pública e gratuita cidadã, e com autonomia administrativa, com investimentos públicos para se desenvolver, eles são feridos”, disse.

 

Ainda de acordo com a parlamentar, “ao mesmo tempo, ele [projeto] cria um tipo de mecanismo de capitação de recursos da iniciativa privada e que não existe respaldo legal para isso. É preciso regulamentar outras legislações para que isso ocorra. As universidades perderão investimentos públicos, o que já vem perdendo, além da autonomia administrativa e perderá algo maior chamado soberania”.

 

Estela Bezerra considerou a proposta como um ataque direto do governo a direitos conquistados, citando o exemplo de vários países do mundo que financiam a própria educação. De acordo com a parlamentar, “instituições públicas que foram financiadas até hoje pelos recursos públicos, agora podem se tornar instrumentos de mercado” conduzidos por seus interesses.

 

ASSISTA:

 

 

LEIA MAIS: Professores da UFPB aderem à Greve Geral contra Reforma da Previdência e “Future-se”

 

Da Redação
Portal WSCOM