menu

Política

15/02/2013


Ex-ministro Fernando Lyra é enterrado

 Foi enterrado, por volta das 17h desta sexta-feira (15), o corpo do ex-ministro da Justiça Fernando Lyra, que morreu na última quinta (14), no Instituto do Coração, em São Paulo. O sepultamento aconteceu no cemitério Morada da Paz, em Paulista, na Região Metropolitana do Recife.

O velório foi realizado no plenário da Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe), no Recife, durante toda a tarde. No final da cerimônia, o monsenhor Olivaldo Pereira, de Caruaru, presidiu uma missa de corpo presente, acompanhada pela família, amigos e admiradores do político. O governador de Pernambuco, Eduardo Campos, os prefeitos do Recife, Geraldo Julio, e de Caruru, José Queiroz, além do presidente da Alepe, Guilherme Uchôa, participaram da solenidade.

O corpo de Fernando Lyra chegou à Alepe pouco depois do meio-dia. A sede da Assembleia, na Rua da Aurora, ficou pequena para o grande número de pessoas que compareceram para prestar uma última homenagem ao ex-ministro.

Histórico
O ex-ministro foi internado no dia 29 de dezembro de 2012, no Real Hospital Português, no Recife, com infecção urinária e problemas cardíacos. Ele foi transferido no dia 5 de janeiro para o Incor, em São Paulo. Fernando Lyra havia saído da UTI do Incor no dia 9 de janeiro, após a infecção urinária ser tratada, mas voltou em menos de 48 horas para a unidade de cuidados intensivos. Na época, João Lyra Neto informou que o coração do ex-ministro estava funcionando com 30% da capacidade. Outro ponto que preocupava a equipe médica era a retenção de líquido, que resultava em aumento de peso e mais dificuldade para a função cardíaca.

Fernando Lyra foi ex-deputado federal e um dos articuladores do nome de Tancredo Neves como candidato à Presidência da República, através do voto indireto no colégio eleitoral, em 1985. Com a morte do mineiro e a posse de Sarney como presidente, foi mantido no governo, como ministro da Justiça, por pouco mais de um ano.

Ultimamente, Fernando Lyra estava fora da vida pública e vivia ao lado da família, no bairro de Piedade, em Jaboatão dos Guararapes, na Região Metropolitana do Recife. Ele deixou esposa e três filhas.