menu

Cinema

16/03/2013


Estacine exibe “As Horas” e “Jane Eyre”

Cinema

 A Estação Cabo Branco dedica março à exibição de filmes sobre escritoras de grandes obras ou que tiveram a sua própria vida transformada em enredo. Neste sábado (16), a atração é “As Horas”, uma cinebiografia de Virginia Woolf com Nicole Kidman, Julianne Moore e Meryl Streep no elenco. Já no domingo (17), a atração é o drama “Jane Eyre”, de 1944, adaptado da obra de Charlotte Brontë. As sessões são gratuitas, às 16h, na Sala de Audiovisuais da Torre Mirante.

“As Horas” – A Mostra Mulheres Escritoras – Suas Vidas, do projeto Estacine, traz “As Horas” (The Hours, EUA, 2001, 1h55 min., 12 anos) no sábado (16). Três eras, três histórias e três mulheres sem conexão aparente são ligadas pela mesma história: o livro “Mrs. Dalloway”, novela mais famosa de Virginia Wolf.

Em 1923 vive Virginia Woolf (Nicole Kidman), autora do livro, que passa por uma crise de depressão e tem ideias de se matar. Um salto no tempo para o pós-guerra e chega-se a Laura Brown (Julianne Moore), uma dona de casa grávida de Los Angeles que planeja uma festa de aniversário para o marido e não consegue parar de ler o livro.

Já nos dias atuais, Clarissa Vaughn (Meryl Streep), a terceira personagem, é uma editora de livros que mora em Nova York e dá uma festa para Richard (Ed Harris), escritor que foi seu amante no passado e hoje está morrendo de Aids. Três retratos de vida diferentes que, em comum, trazem retrospectos de fracasso e frustração. Um filme de alma feminina, onde nos artifícios da trama, outras mulheres se reconhecem no drama existencial de cada uma das personagens. Uma mulher que gostaria de ser uma personagem de um romance, uma que o escreve e outra que o vive.

“Jane Eyre” – estrelado por Joan Fontaine e Orson Welles, “Jane Eyre” (Jane Eyre, EUA, 1944, 1h37 min., 12 anos) é adaptado da obra mais conhecida da inglesa Charlotte Brontë, a mais velha das três irmãs escritoras. Depois de uma infância como órfã, Jane Eyre (Fontaine) consegue um emprego como governanta da filha do perturbado Edward Rochester (Welles), um aristocrata inglês. Com o passar do tempo, Jane e seu patrão se apaixonam e decidem se casar. Mas a união é abalada quando um visitante revela um segredo que Rochester fazia questão de manter no esquecimento.

O livro – Foi intenção de Charlotte Brontë fazer com que Jane Eyre não possuísse nenhum atributo físico que chamasse atenção, que fosse a heroína feia. Desde muito jovem, ela é condenada a viver com sua tia e primos. Maldade não é suficiente para descrever as atrocidades às quais é submetida. Depois de um acidente que ocorre no quarto do falecido tio, Sr. Reed, Jane é mandada para um colégio interno, sendo acusada de pecadora, mentirosa e vil.

Após um longo tempo, e já formada como professora, ela põe um anúncio no jornal e acaba sendo contratada como preceptora em uma propriedade. Em Thornfield, Jane Eyre, no meio de tormentos e com uma relação turbulenta com seu patrão, Sr. Rochester, vai descobrindo aos poucos o que significa se sentir feliz. Porém, mesmo com a vida carregada de tristezas, os acontecimentos que irão seguir Jane em Thornfield depois de se apaixonar, serão ainda piores. Segredos parecem soterrar a recém-descoberta felicidade de Jane Eyre, que pretende lutar e resistir a todas as provações como uma verdadeira heroína trágica.

Apesar disso, “Jane Eyre” não se trata de um livro triste. Mesmo com toda a história difícil, ela demonstra ter capacidade para a superação. Aliás, as personagens do livro são o ponto alto, assim como as interações descritas. A sensação é como estar diante de uma tela de cinema.

Serviço:
Projeto Estacine
Sábado (16)
Filme: “As Horas”
Domingo (17)
Filme: “Jane Eyre”
Horário: 16h
Local: Sala de Audiovisuais da Estação Cabo Branco
Sessões gratuitas