menu

Saúde

28/08/2019


Consórcio Nordeste: Paraíba participa do processo de compra de medicamentos

A Paraíba vai participar da primeira compra conjunta do Consórcio Nordeste – formado pelos nove estados nordestinos –, que priorizou a área da saúde para dar início ao processo de aquisição centralizada, começando pelos medicamentos e equipamentos para o setor. O objetivo é ampliar e qualificar os serviços de saúde.
 
Nessa terça-feira (27), o Consórcio Nordeste se reuniu na Bahia para discutir os alinhamentos necessários para esta primeira compra conjunta dos estados no setor de saúde. Participaram da agenda os secretários de saúde, gestores e representantes das pastas, além da presidência do consórcio.
 
O secretário de Estado da Saúde, Geraldo Medeiros, participou do encontro e afirmou que o que se espera do Consórcio é reduzir preços, aumentar a eficiência na distribuição, armazenagem de medicamentos, no controle de estoque e outras tantas vantagens para a saúde. “A ideia e a implementação do consórcio dos estados do Nordeste representa economicidade e concentra esforços no sentido de comprar insumos mais baratos, zelando pelo erário público”, enfatizou.
 
Durante a reunião, foi discutida a estruturação do processo de aquisição centralizada do Consórcio Nordeste. De acordo com o chefe do Núcleo de Assistência Farmacêutica (NAF), Felipe Santos, a compra por forma de consórcio pode trazer vantagens relacionadas aos preços praticados. “Ou seja, ganhos de escala”, observou.
 
Ele explicou que a compra iniciará com os medicamentos dos grupos 1B e 2 do componente especializado da assistência farmacêutica (AF). “O grupo 1B é formado por medicamentos adquiridos pelo estado, com recursos repassados pelo Governo Federal. Já o grupo 2 é formado por aqueles adquiridos pelo estado, com recursos próprios”, esclarece.
 
Durante a reunião, foram identificados dez medicamentos que impactam mais de 70% do total de valor desses dois grupos. Felipe afirma que é importante destacar que, mesmo com o repasse Federal (grupo 1B), muitos estados acabam complementando o financiamento desse grupo. “Os valores repassados pelo Governo Federal não são suficientes para custear o medicamento”, pontuou. A lista para a publicação do primeiro edital deve ser divulgada na próxima semana.
 
No planejamento do Consórcio Nordeste, as próximas etapas são para discutir a compra de medicamentos por demanda judicial e de equipamentos para hospitais e policlínicas, assim como material hospitalar, gases medicinais, entre outras coisas que mais impactam a gestão hospitalar. A Paraíba foi escolhida para consolidar as demandas de medicamentos para atendimento de demandas judiciais que participarão das próximas etapas de licitação.