menu

Educação

22/01/2013


Concursos públicos abrem 60 mil vagas

Oportunidades

 Seguir a carreira pública no País tem diversos atrativos: além da vocação, ela traz segurança, estabilidade e uma boa remuneração para os trabalhadores. Para quem quer tentar uma chance em 2013, a expectativa do mercado é que sejam abertas 61.718 vagas nas esferas Judiciária, Executivo, Legislativo e o Ministério Público da União.

O orçamento de R$ 8,9 bilhões, que será reajustado para a inserção de novos servidores e substituição de terceirizados, indica a contratação de 21 mil candidatos somente na área de educação, para a expansão da rede de universidades e institutos técnicos.

Segundo o Ministério do Planejamento, mesmo que ainda não haja definição dos cronogramas, está previsto concursos para o Ministério da Fazenda com 2.700 vagas, INSS (Instituto Nacional de Seguro Social) com 2.300 cargos e a Polícia Federal com 1.200 vagas. Os salários podem ultrapassar R$ 13,6 mil.

O coordenador-pedagógico do cursinho FGV (Fundação Getúlio Vargas), Francisco Fontenele destaca o quanto é importante a preparação para os concursos, já que o próximo ano será repleto de oportunidades para o serviço público e, a concorrência só tem a aumentar.

— Será um ano bem auspicioso. Com o advento de várias modalidades de ensino, seja presencial ou online, o acesso aos conteúdos ficou fácil para os candidatos. De forma geral, vejo um nível elevado em preparação devido o aumento da concorrência.

Preparação

Muitos candidatos estão acostumados a realizar uma série de concursos durante o ano. Tal fato ocorre por não haver um cronograma, que organizaria de forma correta os concursos antecipadamente, e proporcionaria a melhor preparação dos inscritos. Para o coordenador, é importante elaborar uma seleção dos concursos de acordo com a carreira que deseja sem a perda do foco.

— Tem candidatos muito bem preparados, mas chegam a realizar concursos todos os finais de semana, viajando para outros Estados e prestam processos seletivos totalmente diferentes. Há uma perda de foco. Muitos não são aprovados e esse desespero só gera despesa pessoal.

Para o coordenador, a forma ideal de preparação para os processos seletivos é estar atento a questões, temas, tendências de provas anteriores e estudar através de uma boa bibliografia. Mas Fontenele ainda ressalta a importância em praticar os exercícios de uma forma repetitiva.

– Após a teoria em aulas e livros é importante a pratica para a fixação. Quanto mais repetir os exercícios o candidato pode verificar o mesmo assunto durante o processo seletivo. É costume os concursos utilizarem os mesmo temas.