menu

Futebol

02/07/2019


Com ajuda de Jesus, Seleção vence a Argentina por 2 a 0 e volta à final da Copa América

Foto: Felipe Moreno / MoWA Press

O Brasil está na final da Copa América. A seleção de Tite avançou ao derrotar a Argentina pelo placar de 2 a 0, em partida realizada na noite desta terça-feira (2), no Estádio do Mineirão, em Belo Horizonte.

A última final de Copa América disputada pela equipe brasileira foi em 2007, contra a mesma Argentina. Na ocasião, venceu por 3 a 0. O Brasil vai em busca do seu nono título. O Uruguai é o maior campeão, com 15 conquistas, enquanto a Argentina tem 14. Os hermanos seguem sem vencer no Mineirão.
Com o resultado, o Brasil aguarda o duelo entre Chile e Peru para conhecer o seu adversário na grande decisão, que acontecerá no próximo domingo, às 17h, no Maracanã, no Rio de Janeiro.

FORÇA BRASILEIRA

Precisou uma partida contra o maior rival para a torcida brasileira abraçar a equipe na Copa América. Essa animação refletiu dentro de campo. Os comandados de Tite mostraram muita disposição, especialmente Gabriel Jesus. O ex-atacante do Palmeiras recebeu duas pancadas da defesa argentina para ficar ‘ligado’. O garoto resolveu chamar a responsabilidade, depois de ter tirado um peso nas costas ao marcar o gol, de pênalti, da classificação para cima do Paraguai, na fase anterior.

Apesar da superioridade do Brasil, a Argentina não se escondeu, tanto que criou a primeira boa chance da partida. Em chute de longa distância de Paredes, a bola tirou tinta do travessão de Alisson. Se os argentinos tinham a bênção do Papa, a equipe brasileira contava com Jesus. Após linda jogada de Daniel Alves, com direito a chapéu em Acuña e um corte seco em Paredes, a bola foi nos pés de Firmino pelo lado direito. O jogador do Liverpool serviu o camisa 9, que só empurrou, aos 18 minutos.
O gol acordou Lionel Messi. Bem marcado por Alex Sandro e Casemiro, o camisa 10 foi encontrando espaços e começou a gostar do jogo. Dos pés do craque, a bola foi caprichosamente na cabeça colorida de Agüero. Ele fez leve desvio para acertar o travessão de Alisson. Na sobra, Thiago Silva afastou o perigo.

A seleção brasileira se acomodou com o resultado e começou a sofrer nos pés de Messi. O atacante do Barcelona recebeu no campo de defesa, deixou Casemiro na ‘saudade’, cortou Arthur e deu belo passe para Agüero, no contrapé de Thiago Silva, que ficou estendido no chão. O jogador do Manchester City finalizou, de dentro da área, mas Marquinhos fez o corte.

Nos minutos finais, o Brasil recuou e chamou a Argentina para seu campo de defesa, mas se segurou a fim de levar um resultado positivo para o intervalo, que teve o presidente Bolsonaro como atração. Em mais uma tentativa de roubar a cena de um espetáculo, deu uma mini volta olímpica em meio à vaias e gritos de ‘mito’.

FECHOU A CONTA!

Com Everton tendo pouco espaço para jogar no primeiro tempo, Tite resolveu colocar Willian em seu lugar. No entanto, foi a Argentina que voltou melhor. A equipe de Scaloni esboçou uma pressão e teve grande chance de empatar aos seis minutos. Agüero fez bela jogada e deixou com Messi. O craque só ajeitou para De Paul. O meia pegou com força e jogou por cima.

A resposta brasileira foi imediata. Gabriel Jesus pegou a bola na entrada da área, girou em cima de Agüero e deixou Coutinho de frente para o gol. O meia chutou para fora. O lance, porém, não intimidou a Argentina. Messi apareceu livre pela esquerda e carimbou a trave. Na sobra, fez o cruzamento e viu a bola atravessar tora área, sem que alguém chegasse para empurrar.

O jogo continuou aberto. A Argentina se colocou todo no campo do Brasil, que encaixou um lindo contra-ataque para fazer o segundo. Gabriel Jesus deu um lençol com o peito, partiu em velocidade, deixando Otamendi para trás, cortou mais um e serviu Firmino. O atacante do Liverpool deixou o seu, aos 25 minutos.

O gol matou qualquer tipo de reação da equipe argentina. Rendida, a Argentina viu o Brasil tocar a bola no meio de campo, debaixo de gritos de ‘olé’ e eliminado. A festa rolou solta no Estádio do Mineirão com a classificação brasileira.


Agência Futebol Interior