menu

Música

05/05/2013


Cantora lírica de 13 anos faz recital

Estação Cabo Branco

 A Estação Cabo Branco – Ciência, Cultura e Artes promove no próximo domingo (5) um recital com a cantora lírica Maria Cândida Barbosa Lima, de apenas 13 anos. A apresentação solo, que acontece no auditório da Estação, é comemorativa ao Dia das Mães e começa às 17h. A entrada é gratuita.

No recital, a cantora irá interpretar obras de Mozart, Puccini e Morricone, entre outros compositores. Maria Cândida é um talento precoce descoberto no Coral Vozes da Infância e atualmente integrante no corpo do coro Villa-Lobos, do Departamento de Música da Universidade Federal da Paraíba (UFPB). “Notei uma boa potência de voz, que a princípio não condizia tanto com a idade, afeita às mudanças hormonais. Logo me chamou a atenção”, lembra Fátima França, preparadora vocal do Vozes da Infância.

Prestes a completar 14 anos, Maria Cândida é a caçula da turma de 25 cantores do corpo do Coral Villa-Lobos, onde divide espaço com quem carrega 60 anos de experiência em canto coral. Para o regente, Carlos Anísio, a falta de intimidação com os mais experientes conta muitos pontos daqui para frente. “O interesse que ela tem por música lírica e sacra, somado ao talento, faz com que se torne fácil trilhar uma carreira promissora”, acredita.

Rotina

Atualmente, Maria treina oito horas semanais com preparadores, além do tempo livre que dispõe quando está em casa. As lições são imprescindíveis para trabalhar respiração e impostação. “A vida de Maria Cândida é importunar os vizinhos. Peço desculpas pelo barulho, mas eles dizem que até gostam da cantoria”, diverte-se a mãe da jovem, Sandra Cristina Barbosa. Apesar da dedicação ferrenha, ela diz que ainda é uma adolescente comum, que sai e se diverte, e não perde tempo se prendendo a dietas para poupar a voz.

“Minhas referências são Sarah Brightman e Cecilia Bartoli”, diz a jovem. Ela sonha em fazer faculdade de canto no berço das cantoras líricas europeias, Itália ou Espanha. “Ela escolheu trabalhar com este tipo de canto porque se identifica. Cabe a mim explorar as suas qualidades: uma voz limpa, afinada, extensa, potente. Maria tem muito futuro”, aposta Fátima.