Publicidade
Folia de Rua: a nova polêmica diante de proposta que afeta a abertura e a essência

Na próxima terça-feira, às 19 horas, na sede da ASIP - Associação dos Servidores Inativos da UFPB liderada pela sapiência de Carlito Gondim, na Avenida Epitácio Pessoa, a Associação Folia de Rua estará decidindo de aceita ou não permitir que a cantora Cláudia Leite possa participar de show na Via Folia no mesmo dia da Abertura do projeto no Centro Histórico.

Está na cara que a proposta produz visível enfraquecimento da abertura do projeto Folia de Rua no Centro Histórico, sobretudo quando não se oferece para este importante movimento cultural como prévia carnavalesca um reforço real com grandes atrações em detrimento da concorrência e seu modismo em torno da artista baiana.

Antes de mais nada é preciso aceitar e admitir que possam existir quem goste do estilo de Cláudia Leite, mas o problema de maior profundidade é saber se a Associação Folia de Rua vai permitir que um Bloco de Cordão, de Privados com interesses financeiros, vai se impor exatamente em concorrência desleal no dia de abertura.

DIA SEGUINTE

A rigor, a proposta desfigurada de Cordão estava programada para o sábado, dia seguinte à abertura, entretanto o forte lobby de empresários junto a alguns blocos abriu este precedente perigoso, cujo custo político a atual direção vai carregar consigo durante a História.

Imaginem o contrário, se Salvador iria permitir que na abertura de seu carnaval a Metalúrgica Felipéia abrisse no lugar do Olodum! Jamais isso acontecerá.

Em síntese, é preciso bom senso e não exagerar na dose do modismo por dinheiro porque o significado do Folia de Rua não pode ser vendido por interesses empresariais.

Aliás, bem que a Funjope como aliada deveria fazer uma Grande Abertura no Ponto de Cem Réis ou na Praça Antenor Navarro até porque o prefeito Luciano Cartaxo sempre teve compromisso com a raiz e a identidade original do Folia de Rua.
 

05/11/2017 as 08:06