Publicidade
A "guerra" de 2018 já começou precocemente envolvendo Poderes constituidos

A semana chega ao fim com fatos e versões, além de reações fortes, mostrando que a Paraiba tem convivido precocemente atraindo sinais de enfrentamento até entre Poderes e midia levando em conta 2018.

No caso mais forte e institucional, este colocou em confronto o Executivo em enfrentamento direto com o Judiciário e Tribunal de Contas por conta de medidas interferindo na LOA e no programa Empreender, respectivamente.

No caso do TCE, houve mais impacto e reação porque a ação foi conduzida pelo conselheiro Fernando Catão alegando problemas no programa, mas tendo contestação direta e pessoal do governador Cassio Cunha Lima.

ALÉM DE PODERES

A raiz de toda a reação diz respeito ao vinculo do conselheiro por ser tio do senador Cassio Cunha Lima, logo é tratado como suspeito, da mesma forma por parte do presidente Joás de Brito Pereira, presidente do TJ e nomeado pelo então governador Cassio para o cargo de desembargador, até por vinculos familiares e politicos.

A MIDIA

O Afastamento do multimidia Anderson Soares da Arapuan motivou reações diversas, cuja base central tem a ver com valores politicos ligados à sucessão.

A POSIÇÃO DE LUIS

O Secretário de Comunicação resolveu não querer alimentar crise, nem quis falar de assuntos ligados ao setor.

Ele diz estar focado em muitas ações de Governo.

Pelo sim, pelo não, o Secretário parece decidido a adotar o "bateu, levou" de agora em diante.

Em sintese, a campanha começou.

11/11/2017 as 05:50