menu

Política

20/07/2019


Blog de WS: fala de Bolsonaro expõe na essência preconceito e racismo contra nordestinos

Na imagem, o jornalista e analista político Walter Santos

O jornalista e articulista político Walter Santos, em artigo publicado neste sábado (20), repercute a forma negativa como a declaração do presidente Jair Bolsonaro (PSL) referindo-se aos governadores do Nordeste como “de paraíba” vem sendo recebida nos nove estados nordestinos.

Confira o texto na íntegra:

Insulto de Bolsonaro ao Nordeste tipificando-o de “Paraíba” é fruto da ignorância e agressão sulista na história; exige-se reparação

Da Bahia ao Maranhão não se fala em outra coisa, que não seja a agressão inaceitável do presidente Jair Bolsonaro expondo, em vídeo vazado, seu tratamento preconceituoso e antirrepublicano contra o governador do Maranhão, Flávio Dino, atingindo indiretamente o governador João Azevêdo por tipificar a todos os gestores do Nordeste de “Paraíba”.

A postura preconceituosa inconcebível de Bolsonaro é o saldo do preconceito memorial da exploração histórica dos nordestinos que, fugidos da seca feroz, foram construir Rio de Janeiro, São Paulo e Brasília com “mão barata e escrava”, por isso até hoje discriminada.

O termo pejorativo de “Paraíba” é vício de linguagem escravocrata da elite do Sudeste que, na versão paulistana, todos do Nordeste eram chamados de “baianos”.

REPÚDIO E REPARAÇÃO

O fato grave produzido pelo presidente da República só espelha sua ignorância sobre o processo histórico e se alinha ao preconceito elitista, inclusive, da nova Casa Grande nordestina que detesta garantias sociais e prefere o modelo de exploração e lucro para gastá-lo em São Paulo, Miami ou Paris.

Não sabe Bolsonaro que desde a chegada dos portugueses foi Salvador a primeira Capital do país e, enquanto isso aconteceu, a economia do Brasil era comandada pela cana-de-açúcar levando a cidade de Recife-PE, em 1772, a ser a primeira Capital de Província do Brasil a ter transporte coletivo puxado a atração animal com modelo inglês.

Não fosse a chegada da Família Real portuguesa em 1808 transferindo antes a capital para o Rio de Janeiro, a história do Brasil seria outra sem o fosso econômico imposto ao Nordeste a partir daí.

Ignora o presidente, a imensa contribuição dada ao País ao longo da história em todos os níveis pelos maranhenses, piauienses, cearenses, norteriograndenses, paraibanos, pernambucanos, alagoanos, sergipanos e baianos – todos de imensa contribuição concreta dada ao Brasil, por isso o presidente precisa reparar a agressão inaceitável.

SÍNTESE

O presidente Jair Bolsonaro para merecer respeito precisa aprender a respeitar. E pedir desculpas ou se reparar.

Por essas e outras, ele só amplia a rejeição, exceto dos que comungam com ele da ignorância e cumplicidade eivada de preconceito social e racista.

ÚLTIMA

“Imagina o Brasil ser dividido/ e o Nordeste ficar independente.”