Blog de WS avalia reinserção de Ricardo na conjuntura e os bastidores em torno de João Azevêdo

0
8

O novo texto do jornalista e analista politico, Walter Santos, aborda, nesta segunda-feira (27) a reinserção do ex-governador da Paraíba e presidente da Fundação João Mangabeira, Ricardo Coutinho na política do Estado.

Segundo WS, “as declarações do líder socialista criaram desconforto em torno do governo João Azevêdo, embora a decisão do governador e equipe seja de não responder nem nutrir a chama acesa por entender que inexiste crise.

 

A conjuntura política da Paraíba, a inserção de Ricardo Coutinho e a “crise” de estilo desnecessária

De repente, não mais do que repente, como diria o poeta, a Paraíba passou a conviver com desdobramentos políticos envolvendo diversos atores partidários após declarações do ex-governador Ricardo Coutinho, maior liderança do PSB, por sua trajetória reconhecida, ao censurar a existência do G10 na realidade partidária contemporânea.

 

As declarações do líder socialista criaram desconforto em torno do governo João Azevêdo, embora a decisão do governador e equipe seja de não responder nem nutrir a chama acesa por entender que inexiste crise.

 

ESTILO E POSTURA

A dados da atual conjuntura, a existência do G10 não implica em problema politico para o atual Governo, mesmo que neste caso específico a diferença no trato da questão seja de estilo de quem lidera o processo.

 

Pelas declarações expostas, Ricardo agiria de forma mais dura, sem dar tréguas, mas esta não é a conduta e estilo do governador por ser, como mostra a conjuntura, ter mais jogo de cintura para conviver com aliados partidários ao lado dos socialistas do PSB.

 

Embora, repitamos, poucos ousem abordar, é esta questão de estilo parte da inquietação pessebista sem o protagonismo absoluto de outrora na cena partidária gerando mote e motivação para reações de parlamentares no famoso “fogo amigo”.

 

REALIDADE COM NOVO FORMATO

O fato é que, diferentemente da fase anterior, o governo precisa se relacionar com uma base ampliada, não só na Assembléia, como na relação com prefeitos subindo de 78 para 156 aliados, realidade esta que faz o Governo precisar conviver com maiores demandas, que são só majoritariamente do PSB, partido que tem em João Azevêdo um chefe de executivo aliado sem dúvidas nenhuma.

 

É notório, por exemplo nas reuniões do Orçamento Democrático, a visibilidade dada nos discursos de João a existência reconhecida do legado do ex-governador, sem contar a manutenção qualificada da gestão fiscal e financeira numa fase adversa, contrária a partir do Governo Bolsonaro.

 

Manter o nível de obras e serviços no nível do que tem sido posto, além dos postos mantidos à maioria com DNA socialista, bem poderia ser considerado um estágio importante por não perder a qualidade do resultado governamental.

 

TEMPO PARA LIDERAR NACIONALMENTE

A rigor, olhando com dados reais da conjuntura brasileira, o ex-governador bem que deveria ocupar sua urgência e prioridade na necessidade que o cenário nacional desperta para ter sua engenhosidade e competência politica difundida pelo Pais, através da Fundação João Mangabeira, já que é presidente nacional.

 

Não só por ter visitado Lula, mas é que sua habilidade politica tem potencial de ampliação e ocupação neste plano nacional indispensável porquanto na base estadual, apesar dos amuos setorizados, tudo está sob controle.

 

Em síntese, como líder de padrão nacional, Ricardo Coutinho é quadro para outras preocupações, além de tudo ser o nome ascendente para a disputa 3m João Pessoa.

 

LUTO NA POLÍTICA

Quem morreu neste domingo, 26, foi o advogado e ex-deputado Lanfstein Almeida, casado, devendo ser velado nesta segunda-feira na Assembléia Legislativa a partir da manhã desta segunda-feira (27).

 

De fato, uma perda qualificada.

 

VILA GALÉ NA PARAÍBA

Ainda repercute dentro e fora do Estado a entrevista exclusiva conosco do presidente do Grupo Português Vila Galé, Jorge Rebelo, de admitir estudos para implantar nova unidade na Paraiba.

 

A possibilidade é real, segundo nos confidenciou.

 

SERENIDADE DE ADRIANO GALDINO

Sempre ponderado, o presidente da Assembléia Legislativa, Adriano Galdino, lembra que não há problema na base aliado com João Azevêdo tendo 100% de apoio dos vários segmentos partidários.

 

MOVIMENTO PRÓ BOLSONARO

O Busto de Tamandaré atraiu aliados de Bolsonaro para lhe emprestar apoio nesta fase da conjuntura.

 

A quantidade, contudo, foi menor em relação a outras movimentações.

 

EM DEFESA DA UNIVERSIDADE PÚBLICA

Será nesta segunda-feira, na Assembléia Legislativa a reunião da Bancada Federal em apoio ao ensino superior gratuito e contra cortes na educação.

 

É fato de muita importância.

 

ÚLTIMA

“Eita vida boa/aperreada…”