menu

Política

19/07/2019


Blog de WS analisa efeitos do GAECO, a sucessão na Capital e as novidades de agora

O jornalista traz mais uma abordagem da conjuntura política do Estado e um aprofundamento sobre as operações do GAECO.

Na imagem, o jornalista e publisher Walter Santos

O jornalista Walter Santos, em mais uma abordagem da conjuntura política do Estado, traz nesta sexta-feira (19), um aprofundamento sobre o futuro de João Pessoa, relativo a sucessão na Prefeitura Municipal. Dessa vez, ele traz um nome pouco falado, mas que vem criando força toda vez que é mencionado. 

 

WS fala ainda sobre as operações do Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado (Gaeco) que deu uma “desacelerada”, segundo o jornalista. Os motivos você descobre a seguir.

 

Leia:

 

No silêncio do MPPB, a GAECO sobrevive como definidor do futuro; e o pastor Sérgio Queiroz?

João Pessoa como Capital e a Paraíba na condição de Estado mantêm as estruturas de governo e sociedade normal, embora seja absolutamente enigmático e não esclarecido a dados de hoje o tamanho do estrago (ou não) que o GAECO pode produzir no futuro próximo, em face de algumas operações em marcha lenta até a definição do novo mandato na Procuradoria Geral de Justiça.

As eleições em curso frearam o ritmo das operações por vários fatores, até estratégicos.

 

Nos bastidores do Ministério Público poucos, além dos candidatos, se expressam fortemente sobre a conjuntura porque, embora todos sejam a favor do combate à corrupção, os últimos fatos da cena nacional deixaram setores ressabiados.

 

O corporativismo comum em estruturas fortes como o MP se sobressai muito mais do que possível “mea culpa”, mas como exercer a conduta legal de investigação plena envolvendo doutores sem nenhuma contaminação externa? E ela existir? Pode?

 

ONDE CHEGA A CALVÁRIO?

Esta é a pergunta que incide em resposta consequente a mexer, ou não, na sucessão municipal, em especial de João Pessoa, dependendo da extensão em curso.

 

É das perguntas e respostas sobre a GAECO e suas operações de que falaremos muito daqui em diante.

 

SÉRGIO QUEIROZ RESISTE

Na boca miúda, como diria Maria Júlia (minha mãe in memorian), já há em alguns setores da Capital a lembrança do nome do pastor Sérgio Queiroz, da comunidade Cidade Viva – um agrupamento expressivo de evangélicos.

 

Atualmente no Governo Bolsonaro, de quem foi eleitor, diferentemente do chefe, ele é inteligente, boa aparência e curriculum qualificado, mesmo sem nenhuma experiência pública de gestão executiva numa cidade ou estado.

 

E isto basta? – indagar-se-ia Antônio Cândido (meu pai in memorian).

 

O fato é que a dados de hoje ninguém aparece imbatível, como se projeta com o ex-prefeito e ex-governador Ricardo Coutinho.

 

Aguardemos, portanto, o desenrolar da novela.

 

UMAS & OUTRAS

…O prefeito Luciano Cartaxo nos disse, por telefone, do contentamento em atestar a melhora de seu irmão Lucélio, em São Paulo.

… O deputado federal Ruy Carneiro esteve no Sírio-Libanês visitando Lucélio.

…O controle interno no Governo do Estado triplicou de acompanhamentos e cuidados para manter a máquina azeitada em tempos de restrições financeiras.

…Os governadores do Nordeste confirmam presença em Teresina na próxima reunião do Fórum.

 

ÚLTIMA

“O homem que diz/sou/não é…”