Blog de WS analisa disputa na Academia Paraibana de Letras e expõe realidade

0
7

O novo texto do multimídia e analista politico, Walter Santos, no seu Blog neste sábado (18), analisa a realidade da disputa para a escolha do novo acadêmico na vaga do imortal Carlos Romero. Ele analisa a condição dos três candidatos à vaga.

 

Eis o texto:

 

A eleição na Academia Paraibana de Letras: três candidaturas, uma tendência e a realidade silenciosa

 

O estado da Paraíba está em contagem regressiva para a realização em breve, dia 6 de junho, da escolha do sucessor na Academia Paraibana de Letras do acadêmico, recentemente falecido, imortal Carlos Romero.

 

Três nomes concorrem ao posto: pela ordem alfabética estão o arquiteto/cronista Germano Romero, o ex-senador e escritor Ney Suassuna e o empresário / colunista e incentivador cultural Roberto Cavalcanti, do Sistema Correio da Paraíba.

 

A IMPRESSÃO DA CONJUNTURA

 

Pelo moído de bastidores em curso, em tese, flui entendimento de que o empresário Roberto Cavalcanti se apresenta como favorito pela articulação em torno dos 39 eleitores, embora a projeção seja de comparecimento de, no minimo, 35 acadêmicos.

 

Há, no campo real paralelo, manifestação de eleitores em torno de Germano Romero com nomes expressivos e isto torna a disputa nervosa.

 

Na realidade presente, Ney Suassuna tem sido menos mencionado porque sua candidatura se dá sem sua presença física na persuasão, por isso, a hipótese dele é mínima.

 

Ele (Ney) chega na semana anterior ao período de prévia e véspera da eleição estando ele tranquilo em qualquer resultado.

 

O SIGNIFICADO FAVORITO DE ROBERTO

 

Roberto Cavalcanti usa do prestigio pessoal acumulado ao longo dos anos com seu envolvimento com a comunicação e politica fazendo deste projeto total dedicação sua para êxito, embora sua performance de agora tenha como força sua condição de articulista com mais 1 mil artigos escritos no jornal de sua propriedade.

 

Por vários fatores, ele se apresenta como favorito.

 

O TAMANHO E PERFIL DE GERMANO

 

Filho do acadêmico da cadeira em disputa, Germano Romero é nome com acesso / preferência de segmentos da Academia vinculados a um perfil independente, próximo de artistas, escritores e professores com atuação e proximidade à contestação conjuntural. Sua performance e histórico tem atraido esse apoio.

 

Mesmo questionado pelo fato de ser filho do autor da cadeira em eleição, ele se apresenta apto e qualificado, dai ter sido estimulado por uma parte expressiva do eleitorado.

 

CONDUTA DE DAMIÃO

 

É inegável a postura equilibrada do presidente da APL/PB, professor Damião Ramos Cavalcanti, portanto, resta apenas a chegada a hora da votação.

 

Em síntese, mesmo com favoritismo de Roberto Cavalcanti, se houver surpresa, esta está já agora com Germano Romero.

 

A pergunta do momento é: será possível reversão pró Roberto? É difícil, mas é impossível?

 

Eis a questão.