menu

Política

12/06/2019


ALPB homenageia elenco de Bacurau e cria Frente Parlamentar em defesa da Cultura e do Cinema da Paraíba

A sessão especial foi uma propositura conjunta dos deputados Ricardo Barbosa (PSB) e Jeová Campos (PSB).

Divulgação assessoria

O auditório Deputado José Mariz, na Assembleia Legislativa, ficou lotado nesta quarta-feira, 12, para a homenagem que a Casa prestou aos atores paraibanos que participaram do filme Bacurau, agraciado no Festival de Cannes com o Prêmio do Júri. A sessão especial foi uma propositura conjunta dos deputados Ricardo Barbosa (PSB) e Jeová Campos (PSB).

 

“Pela primeira vez na história do cinema brasileiro um número tão significativo de paraibanos foi consagrado internacionalmente”, exaltou Barbosa, em seu pronunciamento. O deputado Jeová Campos enxergou na sessão especial uma oportunidade de “chamar a atenção” do governo estadual para contribuir de forma mais incisiva, através de editais e outras ações, para alavancar a produção cultural paraibana, em especial do cinema local.

 

Barbosa foi o autor da proposta de entrega da Medalha Ednaldo do Egypto ao elenco paraibano do filme. “A Paraíba que, em grande parte do século passado, era conhecida no Brasil e no mundo pela produção cinematográfica de linguagem documental, agora alça voos ainda maiores. A vocação de nossos artistas é brindar o mundo com atuações excelentes”, continuou o deputado.

 

Jeová observou que a medalha é uma comenda importante, “mas esta é uma oportunidade que tem dimensão maior, pois provocaremos o Governo no sentido de reconhecer a importância da produção de cultura e de riqueza”.

 

O elenco homenageado foi Buda Lira, Thardely Lima, Suzy Lopes, Ingrid Trigueiro, Jamila Facury e Dani Barbosa, além do continuísta do filme, o paraibano Ian Abé.

 

PRÊMIO E FRENTE PARLAMENTAR

Barbosa disse que, por inspiração de Jeová, protocolizou Projeto de Resolução propondo a instituição do Prêmio ALPB de Cinema Contemporâneo, destinado a premiar, anualmente, as melhores obras cinematográficas produzidas na Paraíba. O prêmio será em troféu e dinheiro.

 

Além disso, também protocolizou projeto de criação da Frente Parlamentar em Defesa da Cultura e do Cinema Paraibanos. Segundo ele, a Frente visa “difundir em toda a Paraíba a cultura geral e cinematográfica, em particular, sendo necessário, para isso, que se criem projetos de lei buscando destinação de recursos e emendas, provocando programas governamentais”.

 

Escrito e dirigido por Kleber Mendonça Filho e Juliano Dornelles, o longa metragem Bacurau é um filme franco-brasileiro, dos gêneros drama, faroeste, fantasia e ficção científica, ao vencer o referido prêmio, tornando-se a segunda produção brasileira da história a ser laureada com a Palma de Ouro, após “O Pagador de Promessas”.

“Tenham a certeza de que não pouparemos esforços, para, a partir dessa oportunidade, incentivar os setores produtivos da cultura paraibana para que estabeleçam uma relação mais próxima conosco, com o poder legislativo”, frisou Barbosa.

RECONHECIMENTO

O ator Buda Lira disse que a premiação no Festival vai provocar um público bem maior do que o esperado para o filme. “A premiação foi, portanto, extremamente importante. Quanto à homenagem da Assembleia, é um reconhecimento e uma aproximação maior entre artistas e legisladores. E queremos ampliar esse diálogo”.

Para Ingrid Trigueiro, é grande a alegria pela premiação e pelo recebimento da Medalha. “Um importante reconhecimento para todos nós”, destacando a importância do incentivo de governos brasileiros anteriores à cultura.

O continuísta Ian Abé observou que, anteriormente a essas políticas públicas, a produção do cinema brasileiro de concentrava no sudeste. “Essa premiação é resultado da ampliação da oportunidade de produção que foi estendida a outras regiões do país”, comemorou.

 

 

Com informações Gisa Veiga
Portal WSCOM